15/04/19 - 14:30

Rio de Janeiro

Ministério Público denuncia torcedores uruguaios envolvidos em briga antes de Flamengo x Peñarol

Torcedores foram enquadrados em três artigos do Estatuto do Torcedor. Penas acumuladas podem chegar a sete anos de reclusão e dois de detenção

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou os três torcedores uruguaios que estão detidos na penitenciária de Benfica, na Zona Norte da cidade. A briga aconteceu antes do jogo entre Flamengo x Peñarol, no dia 3 de abril, pela Libertadores. A denúncia foi realizada através do através do Gaedest (Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor).

Os torcedores foram enquadrados em três artigos do Estatuto do Torcedor: praticar violência, lesão corporal leve e apresentar resistência. As penas acumuladas podem chegar a sete anos de reclusão e dois de detenção. Dennis Oscar Viego Gonzalez, Fernando Segundo Carreno Tucce e Gianfranco Steffano Cattapan Flores estão presos em Benfica.

No dia da briga, a Polícia Militar levou cerca de 40 torcedores do Peñarol para o Juizado Especial Criminal (Jecrim), que fica localizado dentro do Maracanã. No confronto, Roberto Almeida, torcedor do Flamengo, ficou gravemente ferido. Ele segue internado no hospital Miguel Couto, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Confira a nota oficial do Ministério Público do Rio de Janeiro sobre o caso: 

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor (GAEDEST/MPRJ), apresentou, na sexta-feira (12/04), denúncia contra três torcedores uruguaios acusados de terem agredido Roberto Vieira de Almeida, torcedor rubro-negro, em 3 de abril último. A agressão, amplamente noticiada pela imprensa, ocorreu por volta de 17 horas, na Avenida Atlântica, em frente ao restaurante La Fiorentina, no Leme, antes do jogo entre Flamengo e Peñarol válido pela Taça Libertadores da América de 2019. Na ocasião, inúmeros torcedores do Peñarol entraram em confronto com um reduzido número de rubro-negros vindos do estado do Espírito Santo, que pararam para visitar a praia. Foram denunciados Dennis Oscar Viega Gonzalez, Fernando Segundo Carreno Tucce e Gianfranco Steffano Cattapan Flores, que se encontram todos presos preventivamente, à disposição do Juizado Adjunto do Torcedor e dos Grandes Eventos.

Na denúncia, assinada pelo promotor Celso de Andrade Loureiro, o GAEDEST/MPRJ aponta que os três denunciados, de forma livre e consciente, promoveram tumulto, praticaram e incitaram a violência durante o trajeto de ida ao local de realização do citado evento esportivo (Estádio do Maracanã), tendo desferido golpes com garrafa e cadeiras, chutes e socos contra o torcedor adversário, causando-lhe lesões corporais ao menos de natureza grave. Tanto que Roberto ainda segue internado no Hospital Miguel Couto, em coma induzido e tendo já sido submetido a procedimento cirúrgico, em função de traumatismo craniano.

Pelos atos descritos, estão os denunciados incursos nas sanções dos artigos 41-B, §1º, inciso I, da Lei nº 10.671/03 (Estatuto do Torcedor, com reclusão de um a dois anos e multa), 129, §1º, inciso II, e 329, ambos do Código Penal, todos na forma do artigo 69 do mesmo diploma.

0 comentários