Automobilismo

Executivos da Fórmula 1 cortam salários e colocam funcionários em licença

A direção seguiu o exemplo de McLaren, Williams e Racing Point, que já tinham tomado a atitude, devido à pandemia do coronavírus

Por Bruno Almeida

(Foto: Reprodução)

A Fórmula 1 concedeu licença temporária para metade dos funcionários, seguindo o exemplo de McLaren, Williams e Racing Point. Além disso, os executivos do corpo diretivo reduziram os próprios salários em 20%. O CEO Chase Carey pode ter uma redução ainda maior dos vencimentos, de forma voluntária, como ele mesmo anunciou. As medidas são uma forma de tentar diminuir o impacto da crise financeira, gerada pela pandemia do coronavírus.

Na última segunda-feira, a Fórmula 1 e as equipes decretaram uma redução no teto orçamentário que vai entrar em vigor a partir de 2021. O limite será de 150 milhões (aproximadamente R$ 792 milhões), ao invés dos US$ 175 milhões (cerca de R$ 925 milhões) acertados inicialmente.

Ainda sem data definida para o retorno, a temporada da Fórmula 1 já sofreu muito os impactos da pandemia. Os GPs da Austrália e Mônaco foram cancelados, enquanto as corridas de Barein, Vietnã, China, Holanda, Espanha e Azerbaijão estão adiadas.

Comentários
recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
28 de Novembro de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Nenhuma programação disponível
« Programa Anterior
17:00 - Super Futebol Tupi
15:00 - Show da Galera
21:00 - Show de Bola
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »