Baixada Fluminense

Arco Metropolitano: A rota do crime

Inaugurada há seis anos, via expressa da Baixada Fluminense é alvo de diversas ações criminosas

Por Cyro Neves

(Foto: Cyro Neves / Super Rádio Tupi)

Inaugurado há seis anos, custando mais de RS 1 bilhão aos cofres públicos, o Arco Metropolitano, que liga Itaboraí ao Porto de Itaguaí, continua sendo uma das rotas principais de criminosos. Os postes, que contam com placas solares, foram danificados e até derrubados. As baterias de litium foram roubadas. Muitas placas de sinalização desapareceram e outras estão apagadas.

(Foto: Cyro Neves / Super Rádio Tupi)

O Tupi Móvel percorreu longo trecho da Baixada cortando Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Queimados, Japeri e Seropédica. Os poucos motoristas que passam pelo local só relatam violência. Muitos já foram vítimas na rota utilizada pelos criminosos. Vários tiroteios entre bandidos e vigilantes já foram registrados no local. Não há policiamento, o que facilita a ação dos bandidos.

O Arco Metropolitano tem cerca de 145 km de extensão. Na última sexta-feira (10), o jornalista, ambientalista, escritor, Alfredo Sirkis, morreu vítima de acidente, na altura de Nova Iguaçu. O carro dele colidiu com um poste. Ao longo da rodovia não há nenhuma câmera para monitorar os veículos. Muitos motoristas descrevem o Arco Metropolitano como a rota do crime.

 

Comentários
recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
11 de Agosto de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Show do Apolinho
« Programa Anterior
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »