Conecte-se conosco

Brasil

Ministro da Educação nega reuniões com pastores

Victor Godoy também defendeu o antecessor, que deixou o ministério em março

Publicado

em

Imagem do Ministro da Educação

(Foto: Reprodução / Agência Brasil)

O ministro da Educação, Victor Godoy, disse nesta quarta-feira que não participou das agendas da pasta com os pastores evangélicos Gilmar Santos e Arilton Moura, nas quais os religiosos são acusados de terem cobrado propina de prefeitos em troca de viabilizar demandas dos municípios junto à pasta. Na Audiência Públicas nas comissões de Educação e de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados, Victor Godoy destacou que as únicas vezes em que participou de eventos com as presenças dos pastores foi a convite do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, para compor a mesa de abertura.

Na exposição inicial aos deputados, Victor Godoy também defendeu o antecessor, que deixou o ministério em março, após as denúncias terem sido publicadas pela imprensa.  Sobre como a pasta tratou as denúncias, o ministro, que é servidor de carreira da Controladoria-Geral da União (CGU) e auditou diversos órgãos da pasta por 4 anos, antes de ir para o MEC, disse que assim que tomou conhecimento das denúncias sugeriu a Milton Ribeiro ações para que fossem investigadas pela CGU.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.