Coronavírus

Deficientes visuais enfrentam dificuldades e risco de contaminação em meio à pandemia da Covid-19

A falta de informação por parte dos órgãos oficiais é uma das principais reclamações

Por Marcelo Silva

(Foto: Reprodução)

Deficientes visuais enfrentam dificuldades com a mudança de suas rotinas durante a pandemia da COVID-19. Por utilizarem o tato como uma das principais formas de sentirem o mundo, portadores de deficiência visual se torna um grupo de risco em meio à crise do coronavírus.

A psicanalista, Andréia Ladislau fala da importância da informação para os deficientes visuais. De acordo a especialista, só o conhecimento sobre as formas de prevenção podem auxiliar no combate à doença.

A bengala companheira diária também pode ser uma forma de transmissão do coronavírus. O médico Silvio Provenzano, presidente do Conselho de Medicina do Rio, alertou para sobre os cuidados com a higienização.

Segundo o presidente do CREMERJ, é importante a utilização de luvas de proteção para as mãos, além do uso de álcool em gel nas bengalas, para evitar um possível contágio com o coronavírus.

O processo de internação em uma unidade de saúde também gera apreensão. Em entrevista concedida à equipe de reportagem da Super Rádio Tupi,o deficiente visual Flávio Fernandes falou que a qualidade do atendimento nas unidades de saúde do Rio é um motivo de preocupação.

Segundo estudo da psicanalista, Andréia Ladislau os dias atuais exigem empatia para que o olhar da gratidão traga a perseverança por dias melhores com o fim da pandemia.

Comentários
recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
30 de Maio de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Programa Francisco Barbosa
« Programa Anterior
17:00 - Super Futebol Tupi
12:00 - Patrulha da Cidade
13:00 - Samba Social Clube
15:00 - Show da Galera
21:00 - Show de Bola
12:00 - Patrulha da Cidade
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »