Coronavírus

ONG Rio de Paz faz ato em homenagem aos quase cem mil mortos pela covid-19

Cruzes foram fixadas nas areias de Copacabana com balões vermelhos

Por Redação Tupi

Foto: Diana Rogers

A ONG Rio de Paz realizou na manhã deste sábado (08), em Copacabana, um ato em memória aos quase cem mil mortos pela covid 19 no Brasil.  Nas areias da praia, em frente ao Copacabana Palace, cem cruzes pretas foram fixadas com balões de gás vermelhos biodegradáveis. A manifestação encerrou às 11h com a soltura dos balões, simbolizando as vidas que se foram.

O taxista Márcio Antônio, que perdeu o filho de 25 anos em abril pela covid-19, participou do ato. Márcio foi quem fixou novamente nas areias de Copacabana as cruzes que haviam sido derrubadas por um homem contrário ao protesto, em junho.

“Eu me sinto muito representado com  meu filho sendo representado aqui. É triste tudo que eu passei, mas também é muito legal saber que tem pessoas que estão se preocupando com as vítimas.”

Assim como ocorreu no protesto em junho, neste sábado alguns manifestantes contrários ao ato fizeram críticas a manifestação.

“Infelizmente hoje não foi tão diferente, porque muitas pessoas passaram gritando que isso era fake news, que isso era palhaçada, como se a morte do meu filho, Hugo Dutra do Nascimento Silva, um garoto de 25 anos,  fosse palhaçada. Eu não tô aqui para fazer terrorismo, ou para gerar terror. Eu estou para conscientizar as pessoas, ainda mais os jovens, que um jovem pode morrer de covid-19. Mas, infelizmente, várias pessoas passaram aqui sem nenhuma sensibilidade. Nós não somos o inimigo do estado. Eu sou vítima.”

O país já contabiliza 99.572 mortos pela covid 19. O número de infectados se aproxima dos 3 milhões e um pouco mais de 2 milhões de pessoas se recuperaram da doença.

 

Veja abaixo o vídeo da soltura dos balões:

 


Comentários

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
13 de Janeiro de 2021 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Tupi na Rede
« Programa Anterior
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »