Conecte-se conosco

Baixada Fluminense

Policial civil é morto por militar da Marinha após desavença com dono de ferro-velho

Perito questionou furto de material de obra e foi assassinado pelo filho do proprietário. Agentes fazem buscas pelo corpo da vítima

Publicado

em

Polícia procura corpo de perito morto por militares da marinha
Renato Couto de Mendonça, perito morto por militar da Marinha (Foto: arquivo pessoal)

A Polícia Civil tenta localizar o corpo de um perito morto a tiros após uma desavença com o dono de um ferro-velho, localizado na Mangueira, Zona Norte do Rio.

Segundo as investigações, o papiloscopista Renato Couto de Mendonça, que trabalhava no Instituto Félix Pacheco, foi assassinado por um militar da Marinha e mais três homens após uma discussão com Lourival Ferreira de Lima, proprietário do estabelecimento.

O perito teria ido até o ferro-velho para reclamar sobre o furto de material de uma obra dele, na Praça da Bandeira, que teria sido receptado por Lourival.

O militar, identificado como Bruno Santos de Lima, é filho do dono do ferro-velho. Ele e mais três amigos sequestraram e mataram o perito, e levaram o corpo da vítima em uma van da Marinha até a Baixada Fluminense, nas proximidades do Arco Metropolitano. Lourival e Bruno já estão presos.

Renato Couto de Mendonça era aguardado para um plantão neste sábado (15), mas não apareceu, o que levou a Polícia Civil a investigar o sumiço do papiloscopista.

O carro oficial da Marinha já passou por perícia. Agentes da Delegacia de Homicídios, do Instituto Félix Pacheco e da delegacia da Praça da Bandeira (18 DP) participam das buscas pelo corpo do policial.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.