Conecte-se conosco

Eleições 2022

Alckmin admite que pode ser vice na chapa de Lula nas eleições de 2022

Declaração foi dada durante reunião do político com dirigentes de centrais sindicais

Publicado

em

O então presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversa com o então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, durante a cerimônia da ampliação da unidade de papel e celulose do Grupo Votorantin, em agosto de 2003
Declaração foi dada durante reunião do político com dirigentes de centrais sindicais (Foto: Ana Nascimento/Agência Brasil)
O então presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversa com o então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, durante a cerimônia da ampliação da unidade de papel e celulose do Grupo Votorantin, em agosto de 2003

Declaração foi dada durante reunião do político com dirigentes de centrais sindicais
(Foto: Ana Nascimento/Agência Brasil)

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB-SP) admitiu, nesta segunda-feira (29), que existe a possibilidade dele ser candidato a vice na chapa encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 2022. A afirmação ocorreu durante uma reunião a portas fechadas com dirigentes de centrais sindicais.

A reunião contou com a presença de representantes de quatro das seis maiores centrais sindicais. Dentre eles, os presidentes da Força Sindical, UGT e CTB, além de membros da direção da Nova Central.

Durante o encontro, os presidentes das três primeiras entidades pediram explicitamente que Alckmin aceitasse ser vice de Lula. Já os representantes da CTB defenderam a formação de uma “frente ampla” contra a reeleição do presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido).

Após escutar o pedido dos sindicalistas, Alckmin disse estar se preparando para concorrer ao governo paulista, mas afirmou que “surgiu a hipótese federal” e que ela “caminha” no momento. “Preparei-me novamente para ser governador do estado. Surgiu a hipótese federal. Os desafios são grandes. Essa hipótese caminha e eu considero a reunião com as quatro principais centrais histórica”, teria dito o ex-governador, segundo relatos de sindicalistas presentes.

Vale destacar que Alckmin está de saída do seu atual partido, o PSDB. A sigla lançou a pré-candidatura à Presidência do atual governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), no último sábado (27).

Segundo as informações divulgadas da reunião desta segunda, Geraldo Alckmin teria confirmado aos sindicalistas que, se for candidato a governador de São Paulo, “iria para o PSD, porque daria para fazer uma composição com o PSB”. A ideia, neste cenário, seria repetir a dobradinha vitoriosa no pleito de 2014, com o Alckmin tendo o também ex-governador paulista Márcio França (PSB) como vice.

Caso Alckmin de fato vá para a disputa presidencial, o partido de destino será diferente. Nesta hipótese, o ex-governador iria para o PSB, enquanto França seria o candidato ao governo de São Paulo.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *