Conecte-se conosco

Brasil

Polícia do Rio desmente versão de que diplomata cometeu injúria racial contra camareira na Zona Sul

No momento em que o caso ocorreu chanceler concedia entrevista

Publicado

em

(Foto: Reprodução / Agência Brasil)

Em nota, a Polícia Civil do Rio de Janeiro desmentiu que o chanceler Mauro Vieira tenha cometido injúria racial contra uma camareira de um apart-hotel, no Leblon, na Zona Sul do Rio, como chegou a ser divulgado.  

A mulher prestou depoimento na 14ª DP (Leblon) acompanhada de uma testemunha. De acordo com a nota, quem praticou o ato foi uma pessoa que administra o imóvel do ministro. A nota encerra dizendo que policiais estão em diligências para esclarecer o caso.

Durante o depoimento, a camareira disse ter sido chamada de “macaca” ao entrar no apartamento que pertence a Mauro Vieira.   Segundo o Itamaraty, o diplomata não vai ao imóvel há 2 meses, e, no momento em que o caso ocorreu, estava concedendo uma entrevista, em Copacabana, acompanhado de assessores.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *