Conecte-se conosco

Capital Fluminense

Médico agride socorrista do SAMU e enfermeira, após se recusar a atender paciente em UPA na Zona Oeste do Rio

Caso aconteceu nesta terça-feira (27) em Campo Grande. Polícia Civil e Fundação Saúde já abriram investigação para apurar os fatos

Publicado

em

UPA Campo Grande 1
(Foto: Reprodução)

Um médico, identificado como Glauco Gomes, é acusado de ter agredido o socorrista do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) Fábio Domingos e a enfermeira Nicole de Araújo, após se recusar a atender um paciente grave, de 41 anos, que estava enfartando. Este caso teria acontecido na tarde desta terça-feira (27) na UPA Campo Grande 1, localizada na Avenida Cesário de Melo.

De acordo com o relato do socorrista para reportagem da Super Rádio Tupi, ao chegar na unidade, ele foi recebido pela técnica de enfermagem da sala vermelha. A profissional se encaminhou até o consultório do médico e comunicou que tinha um paciente da equipe do SAMU necessitando de atendimento urgente.

Ao retornar, a técnica pediu para que o socorrista fosse pessoalmente falar com o médico. “O Dr. Glauco estava em procedimento, fazendo uma sutura, quando eu fui até ele. Ao chegar na sala, já fui abordado com a seguinte frase: ‘Você me trouxe um morto? O que é que eu vou fazer com um morto?’. E eu respondi: ‘Doutor, nós não estamos falando do mesmo paciente. Eu trouxe um paciente vivo””, declarou Fábio.

“Ele então me pediu para que eu aguardasse na sala vermelha. Eu voltei para lá e, de repente, o médico me entra alterado, gritando com a técnica da unidade, dizendo que ela tinha informado um quadro errado, tentando dizer que ela o induziu ele ao erro”, informou o socorrista.

Ainda de acordo com o relato, além de contestar a competência técnica da enfermeira, o médico teria sido agressivo com a profissional. Ele teria dado um tapa na mão dela e a empurrado, a impedindo de ajudar o paciente. Diante deste cenário, Fábio Domingos disse que precisou intervir.

“O médico veio em minha direção e começou a gritar comigo e a me empurrar. Foi aí que ele me deu um soco no peito. Ele estava muito alterado. M agrediu, me xingou. Xingou até a equipe. Enquanto isso, o paciente estava lá na sala vermelha, em estado grave, afundando, vendo toda a cena. No meio da confusão, o paciente veio a óbito, com 41 anos de idade. Ou seja, o médico deixou de assistir o paciente para bater na equipe, destratar a enfermagem e ainda perdeu uma vida por incompetência dele”, declarou Fábio.

Após toda a situação, o socorrista registrou um boletim de ocorrência por lesão corporal na 35ª Delegacia de Polícia (DP) de Campo Grande. Procurada pela reportagem da Super Rádio Tupi, a Polícia Civil confirmou que as investigações estão em andamento. Segundo a instituição, os envolvidos já foram ouvidos e diligências estão sendo realizadas em busca de informações para esclarecer os fatos.

A reportagem da Super Rádio Tupi também entrou em contato com a Secretária de Estado de Saúde do Rio. Por meio de nota oficial, a direção da Fundação Saúde, gestora da UPA Campo Grande I, informou que o atendimento na unidade não foi interrompido, já que a equipe estava completa. Além disso, o comunicado afirma que será instaurada sindicância para apurar o ocorrido.

Continue lendo
1 comentário

1 comentário

  1. Joel

    28 de setembro de 2022 em 23:21

    Conheço esse médico, ele é sempre muito prestativo, competente e gentil. Tem alguma coisa errada nessa história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.