Conecte-se conosco

Capital Fluminense

Comerciante chinesa acusada de racismo é denunciada pelo Ministério Público

Laura Brito, de 28 anos, foi ofendida enquanto fazia compras na loja de bijuterias da chinesa em Copacabana

Publicado

em

Comerciante comete crime de injúria racial contra cliente da própria loja (Foto: Reprodução)

O Ministério Público do Rio denunciou a comerciante chinesa, Li Chen, de 48 anos, por racismo, injúria racial, dano ao patrimônio e vias de fato.

Ela foi presa em setembro, após ofender a atendente Laura Brito, de 28 anos. O caso aconteceu em uma loja de bijouterias de Copacabana, na Zona Sul do Rio.

Na ocasião, a comerciante chamou a cliente de “preta safada”, “neguinha” e “macaca”. A chinesa chegou a dizer que não queria ninguém daquela raça na loja dela.

Laura Brito foi vítima de racismo por dona de loja em Copacabana
Laura Brito foi vítima de racismo por dona de loja em Copacabana (Foto: Tatiana Campbell / Super Rádio Tupi)

Diversas pessoas testemunharam a favor de Laura Brito, que se sentiu humilhada com as ofensas. Ela ainda não consegue descrever a dor que sente.

A chinesa pagou uma fiança de R$ 1.500 e foi liberada depois.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.