Rio

Instituto de Segurança Pública divulga informações sobre segurança em março

Indicadores podem apresentar queda por causa do distanciamento social que ajuda na redução da criminalidade

Por Redação Tupi

Foto: Governo RJ

Desde o dia 13 de março, o Estado do Rio de Janeiro tem adotado medidas restritivas para prevenir e combater a propagação da pandemia do novo coronavírus. Neste período, os registros de ocorrência dos crimes sofreram impacto no mês de março. Os indicadores podem apresentar queda por causa do distanciamento social, que ajuda na redução da criminalidade, e da diminuição dos registros das ocorrências, resultando em subnotificações.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. Durante o período de restrições, os serviços da Delegacia Online (https://dedic.pcivil.rj.gov.br/) e da Central 190, assim como o atendimento presencial para medidas de urgência em todas as unidades policiais, inclusive nas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAM), não tiveram os funcionamentos alterados.

Além da divulgação dos dados estatísticos mensais, o ISP divulga também as informações sobre os crimes possivelmente mais impactados pelo período das restrições.

 

Indicadores estratégicos

 

  • Crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte): 1.078 vítimas no primeiro trimestre de 2020 e 383 em março. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 2% em relação ao trimestre e aumento de 6% em relação a março.
  • Homicídio doloso: 1.044 vítimas no primeiro trimestre de 2020 e 372 em março. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 1% em relação ao trimestre e aumento de 8% em relação a março.
  • Roubo seguido de morte (latrocínio): 26 vítimas no primeiro trimestre de 2020 e nove em março. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou oito mortes a menos em relação ao trimestre e duas a menos em relação a março.
  • Morte por intervenção de agente do Estado: 429 mortes no primeiro trimestre de 2020 e 113 em março. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 2% em relação ao trimestre e de 14% em relação a março.
  • Roubo de carga: 1.361 casos no primeiro trimestre de 2020 e 366 em março. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 33% em relação ao trimestre e de 43% em relação a março.
  • Roubo de veículo: 8.621 ocorrências no primeiro trimestre de 2020 e 2.450 em março. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 22% em relação ao trimestre e de 35% em relação a março.
  • Roubo de rua (roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo): 25.601 registros no primeiro trimestre de 2020 e 6.941 em março. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 24% em relação ao trimestre e de 42% em relação a março.

 

Crimes durante a quarentena

Violência contra a mulher

O número de mulheres vítimas de feminicídio e tentativa de feminicídio em março de 2020 apresentou queda em relação ao mesmo mês do ano anterior – cinco vítimas de feminicídio e 26 vítimas de tentativa de feminicídio. No entanto, não é possível afirmar que o período da quarentena influenciou nessa redução, uma vez que os números estão dentro da média mensal observada nesses crimes.

O total de crimes com vítimas mulheres que foram registrados sob a Lei nº 11.340/2006 (Lei Maria da Penha) apresentou declínio de 31% em março em relação ao mesmo período do ano anterior: foram 4.745 em 2020 contra 6.849 em 2019.

Os crimes de lesão corporal dolosa, ameaça e estupro também apresentaram diminuição no mês de março deste ano, quando comparados ao mesmo mês do ano passado. Foram 2.750 mulheres vítimas de lesão corporal dolosa (redução de 28%), 2.243 mulheres vítimas de ameaça (queda de 40%) e 302 mulheres vítimas de estupro (declínio de 24%).

É de extrema importância lembrar que os dados divulgados pelo ISP são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas Delegacias de Polícia Civil do estado. Existem outras fontes de denúncias que podem ser utilizadas para reportar esses crimes, como a Central 190, o Disque 180 do Governo Federal e o Disque Denúncia (2253-1177). Por isso, o Instituto de Segurança Pública, atento ao momento delicado de quarentena, iniciou o Monitor da Violência Doméstica contra a Mulher no Período de Isolamento Social com o intuito de utilizar outras fontes de dados para analisar a violência contra a mulher.

 

Estelionato

O número de estelionato apresentou estabilidade no mês de março: foram 3.086 casos em março de 2020, um aumento de 3%. Durante a quarentena, de 13 a 31 de março de 2020, aumentou a proporção de casos de estelionato ocorridos em ambiente virtual. Comparado com o período pré quarentena (01 a 12 de março), os casos em ambiente virtual passaram de 11,8% para 24,3% – em 2019, apenas 7,9% dos casos do mês de março ocorreram na internet.

 

Crimes de trânsito

O número de vítimas no trânsito em março de 2020 apresentou expressiva queda em relação ao mesmo mês de 2019. Possivelmente, esta redução é consequência da menor circulação de veículos e de pedestres no estado durante o mês do isolamento. Em março deste ano foram 126 vítimas letais, ou 21% a menos do que em março de 2019. As vítimas de lesão corporal culposa de trânsito caíram quase ela metade: 1.253 casos em março deste ano, um declínio de 42% em relação ao ano passado.

 

Comentários
recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
25 de Maio de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Show do Apolinho
« Programa Anterior
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »