Conecte-se conosco

Últimas Notícias

Ex-repórter de TV comemora 101 anos de descoberta da insulina ‘Me dá a chance de estar vivo’

Tom Bueno, jornalista que convive com o diabetes, compartilha que hoje só está vivo por causa do medicamento

Publicado

em

Ex-repórter de TV comemora 101 anos de descoberta da insulina 'Me dá a chance de estar vivo'

Dia 30 de julho é comemorado oficialmente a descoberta da insulina. Já são 101 anos que este poderoso medicamento vem salvando vidas, e uma delas é de Tom Bueno, jornalista diagnosticado com diabetes tipo 1 aos 22 anos.

Após receber o diagnóstico, Tom teve muitas dificuldades em encontrar informações sobre a doença, profissionais qualificados e também apoio de outras pessoas para lidar com o cenário no qual foi inserido. Exatamente por isso o jornalista tomou como missão de vida desmistificar, educar e acolher pessoas com a doença através das suas redes sociais e do seu canal no Youtube – “Um Diabético”.

Assim como ele, muitas pessoas acreditam que o diabetes não te permite viver com qualidade de vida, podendo fazer tudo o que uma pessoa sem a doença pode fazer. A verdade é que isso mudou com a descoberta da insulina.

“Há 101 anos, descobrir que tinha diabetes tipo 1 era praticamente uma condenação, era um diagnóstico de morte… não tinha solução. Mas a descoberta desse medicamento permitiu que as pessoas diagnosticadas com o diabetes possam continuar vivas e com qualidade de vida”, comenta o jornalista.

Apesar da descoberta ter acontecido há mais de um século, ainda hoje há muitas pessoas que acreditam que a insulina é usada apenas quando o paciente está no fim de sua vida ou até mesmo que ela pode causar mortes, sendo que o papel dela é justamente o contrário disso – proporcionar qualidade de vida para que os diagnosticados possam viver uma vida “normal”.

Para mostrar essa realidade e ajudar o maior número de pessoa possível, o jornalista e ex-repórter de TV, Tom Bueno, tem viajado o Brasil para conhecer de perto a realidade de outras pessoas com diabetes que dependem do medicamento e tem documentado tudo isso em seu canal, onde também compartilha diversos outros conteúdos para contribuir com pessoas que desejam entender melhor sobre a doença que matou 6,7 milhões de pessoas em 2021, sendo 214 mil delas apenas no Brasil, segundo o Atlas da Diabetes, da Federação Internacional de Diabetes.

“Hoje eu só estou vivo por causa da insulina, e isso me motiva a continuar viajando, buscando novos conhecimentos e desmistificando tudo sobre o diabetes para que ainda mais pessoas tenham acesso a informações”, finaliza o jornalista.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *