Conecte-se conosco

Justiça

Suspeito de matar idosa após acidente de trânsito em Cabo Frio vai permanecer preso

Magistrado considerou ser necessária a prisão preventiva de Rogério destacando que os fatos são tipificados como crimes graves

Publicado

em

Assassino imobilizado
Assassino imobilizado/Foto: R Lagos Notícias
Assassino imobilizado

Assassino imobilizado/Foto: R Lagos Notícias

O montador de churrasqueira Rogério Oliveira da Silva, de 32 anos, teve a prisão em flagrante convertida para preventiva nesta terça-feira (18/01) pelo juiz Antonio Luiz da Fonsêca Lucchese, da 1ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ).

Ele é acusado de estrangular até a morte uma idosa de 68 anos depois de um acidente de trânsito, em Cabo Frio, Região dos Lagos. Ao perceber que seu irmão, que conduzia o veículo no qual estava, estaria preso nas ferragens, Rogério teria descido do automóvel, ido em direção ao outro carro e puxado Maria Augusta Baião pelo pescoço, provocando esganaduras fatais.

Na audiência realizada na Central de Audiência de Custódia de Benfica, o magistrado considerou ser necessária a prisão preventiva de Rogério destacando que os fatos imputados ao custodiado são tipificados como crimes graves.

“Em razão da gravidade em concreto do crime, considerando que existem indicativos de que o indiciado se encontrava embriagado e, após o acidente de trânsito, teria tentado arrancar a motorista do outro automóvel, causando-lhe esganaduras fatais, tratando-se de uma idosa de 68 anos, o que inclusive se caracteriza como causa de aumento, considero que nenhuma das medidas cautelares diversas da prisão previstas no artigo 319 do CPP, aplicadas isoladas ou cumulativamente, são suficientes para garantir a ordem pública, ou a aplicação da lei penal. Além disso, por conveniência da instrução criminal.”

 

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.