Conecte-se conosco

Brasil

Papel da distribuição foi fundamental entre demanda e oferta no mercado, aponta VP de Supply & Trading da Ipiranga

Executivo falou sobre os desafios e avanços da distribuição no País e aprendizados com a crise internacional

Publicado

em

Francisco Ganzer
Papel da distribuição foi fundamental entre demanda e oferta no mercado, aponta VP de Supply & Trading da Ipiranga

Francisco Ganzer, vice-presidente de Supply & Trading da Ipiranga, participou do debate sobre a garantia do abastecimento nacional num mercado com múltiplos refinadores, no primeiro dia da 20ª edição da Rio Oil & Gas, maior evento do setor na América Latina. O executivo falou sobre os desafios e avanços da distribuição no País e aprendizados com a crise internacional.

O painel contou também com Sandro Paes Barreto, gerente executivo de Comercialização no Mercado Interno da Petrobras, e Rubens Freitas, superintendente adjunto de Abastecimento da ANP, mediado por Valeria Lima, diretora executiva de Downstream do IBP e trouxe perspectivas sobre o abastecimento de combustíveis no país.

Ganzer comentou sobre o desafio de abastecer um país continental, como é o Brasil, que exige infraestrutura e logística apuradas, e que no diesel S10 onde existe uma demanda de importação estrutural, há o desafio adicional de acessar os produtos internacionalmente com antecedência de 45 a 60 dias. Tudo isso requer um trabalho concatenado de toda cadeia e a distribuição, que tem um papel fundamental: assegurar ao cliente que este combustível chegará até ele, de forma contínua, segura e competitiva. De acordo com o executivo, isso requer investimentos importantes em infraestrutura/ logística e capital de giro, além de uma visão de investimentos de longo prazo.

Sobre as questões internacionais, Ganzer relatou que a companhia teve protagonismo ao atuar como importador durante a pandemia. “Tivemos papel importante como importador durante a pandemia para cobrir o déficit entre demanda e oferta no mercado, reafirmando o compromisso de abastecer nossos clientes mesmo quando o produto internacional estava em desvantagem competitiva. Com múltiplos agentes na cadeia, cria-se um ambiente competitivo saudável e novas alternativas logísticas. Isso com certeza tornará a cadeia mais eficiente”, disse o executivo.

Ganzer também ressaltou os aprendizados que, em sua visão, foram essenciais e vão se perpetuar: “Temos a capacidade de acessar vários mercados e suprir a demanda. A atuação dos diferentes agentes, com regulatório e fiscalização atuantes, e dinâmicas de mercado livre são alavancas para incentivar os investimentos que o setor necessita para assegurar o abastecimento”.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.