Coronavírus

Conheça a história da primeira indígena vacinada no Brasil

Vanuzia Costa Santos, de 50 anos, recebeu a primeira dose da Coronavac neste domingo (17)

Por Redação Tupi

Vanuzia Costa Santos, de 50 anos, recebeu a primeira dose da Coronavac neste domingo (17)
(Foto: Reprodução/Facebook)

Vanuzia Costa Santos, de 50 anos, moradora da aldeia multiética Filhos dessa Terra, localizada no bairro Cabuçu Guarulhos, é a primeira indígena do Brasil a se vacinar contra a Covid-19. Técnica de enfermagem e assistente social, Vanuzia é também presidente do Conselho do Povo Kaimbé, originário do Nordeste, por quem decidiu estudar, lutar por direitos, e um dia retornar para cuidar dos moradores da aldeia de Massacará, na cidade de Euclides da Cunha, na Bahia, onde nasceu.

Hoje, Massacará tem cerca de 200 famílias, cerca de outras 180 famílias deste povo residem em São Paulo atualmente. Vanuzia se mudou para a chamada terra da garoa em 1988, para trabalhar e crescer na carreira.

“Fiquei muito feliz de participar deste momento. Sou defensora da vida, de outras vacinas, da prevenção, saúde. Devemos valorizar a educação, a ciência, e isso pode ser conciliado mantendo uma crença, com as rezes e a medicina tradicional do meu povo”, afirmou.

Ela comentou ainda sobre sua atuação para sensibilizar demais famílias indígenas sobre a importância da imunização, orientando sobre a suscetibilidade aos vírus. A indígena também relembrou sua experiência como técnica de enfermagem na Casa do Índio, onde trabalhou por 10 anos e viu indígenas lutarem contra doenças.

Vanuzia concluiu a graduação em Assistência Social com bolsa integral pela PUC-SP em 2020, concluindo a universidade virtualmente devido à pandemia. “O sinal era horrível na aldeia, corria com guarda-chuva para baixo de uma árvore. Fiz meu TCC inteiro pelo celular”, contou. Agora, pretende fazer residência em Saúde Mental, com o mesmo propósito: contribuir com seu povo e manter viva a herança de seus ancestrais.

Teve Covid-19 e sentiu sintomas mais severos em 10 de maio. Solteira, com um filho de 24 anos, relatou o sofrimento provocado pela doença: dor no corpo, tosse, muita falta de ar, além da ausência de olfato e paladar que persistem até hoje. “Não fui para o hospital porque ajudava a cuidar de outras seis pessoas, precisava ter força para dar uma palavra de conforto e cuidar deles, sem me abater. Tinha um oxímetro mas não media minha respiração para não me apavorar. Fiz o teste em 15 de junho e já estava curada”, concluiu, com sabedoria e serenidade.

Comentários
enquete

Você concorda com as medidas restritivas impostas no Rio?

Carregando ... Carregando ...

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
05 de Março de 2021 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Na Companhia Do Garcia
« Programa Anterior
04:00 - Show do Mário Belisário
06:00 - Show do Antônio Carlos
08:00 - Show do Clóvis Monteiro
10:00 - Programa Isabele Benito
11:00 - Programa Francisco Barbosa
12:00 - Patrulha da Cidade
14:00 - Show do Pedro Augusto
15:30 - Show do Heleno Rotay
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
13:00 - Cidinha Livre
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »