Conecte-se conosco

Celebridades

Globo confirma saída de Galvão Bueno após Copa do Mundo do Catar e promete ‘despedida à altura’ do narrador

Comunicado oficial da emissora foi emitido nesta quinta-feira (24). Profissional já havia usado as redes sociais para antecipar a decisão

Publicado

em

Galvão Bueno

Comunicado oficial da emissora foi emitido nesta quinta-feira (24). Profissional já havia usado as redes sociais para antecipar a decisão
(Foto: João Miguel Junior/Globo/Divulgação)

Após Galvão Bueno anunciar por meio do perfil oficial no Twitter que irá narrar o seu último jogo da seleção brasileira no Maracanã nesta quinta-feira (24), a Globo confirmou que o contrato do narrador que termina em 31 de dezembro deste ano não será renovado. De acordo com o comunicado oficial, o último trabalho de Galvão na emissora será a Copa do Mundo do Catar e, para a ocasião, o canal irá preparar uma “despedida à altura” do profissional.

“Galvão é um gênio da comunicação, que reinventou a função de um narrador nas transmissões esportivas. Haverá pra sempre na história da TV brasileira o antes e o depois de Galvão. Juntos, estamos preparando uma despedida à altura da história dele na Copa do Catar. Será inesquecível para Galvão e para o público”, afirmou o diretor de esportes da Globo, Renato Ribeiro, no comunicado.

Galvão Bueno começou a trajetória na Globo ainda em 1981. A estreia ocorreu com a narração da partida entre Jorge Wiltersmann (BOL) e Flamengo pela Copa Libertadores daquele ano. Em pouco tempo, o profissional ganhou espaço na emissora, participando de grandes coberturas, como as Copas do Mundo de 1982 e 1986 e os Jogos Olímpicos de 1984. Graças ao sucesso nestes eventos, assumiu o posto de narrador principal em 1987.

No ano de 1992, Galvão teve uma breve saída da Globo. Na época, o narrador topou o desafio de ser o diretor de esportes da extinta Rede OM (atual CNT). A experiência durou dez meses e durante este período foi a voz da campanha do primeiro título da Libertadores do São Paulo.

A volta de Galvão para Globo aconteceu em 1993 e desde então esteve à frente de todas as principais competições transmitidas pelo canal. Ele foi a voz, por exemplo, do tetra e do pentacampeonato mundial da Seleção Brasileira, além de ter narrado a primeira medalha de ouro do futebol masculino em Olimpíadas na edição dos jogos de 2016.

“Eu me realizei como profissional nesses 41 anos na Globo. Foram emoções fortíssimas. Estarei com a seleção brasileira e com o futebol até o dia 18 de dezembro. Depois, vira-se uma página e o livro continua. Pretendo mergulhar de cabeça no mundo digital, estamos falando sobre possibilidades em outras plataformas. A Globo é minha casa”, afirmou o próprio Galvão na nota emitida pela emissora da família Marinho.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.