Botafogo

Botafogo cobra rapidez da justiça no julgamento do caso Willian Arão

Jogador calcula que tem mais de R$ 6 milhões a receber de indenização por reparação de perdas e danos

Por Redação Tupi

Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press

O Botafogo teme que uma transferência do volante Willian Arão para o exterior cause enorme dificuldade para receber a indenização por reparação de perdas e danos obtida na justiça. Corrigido o valor com juros, o clube teria mais de R$ 6 milhões a receber. Em 2015, Arão saiu do Botafogo e acertou com o Flamengo. O jogador se negou a cumprir a cláusula de renovação automática baseada em nova determinação da FIFA.

– Com relação ao caso do Arão, o que tem que se ver é que a pandemia atrapalhou. Desde março o TST, assim como toda a Justiça do Trabalho, está fechado, não tem atendimento presencial. Só julgam casos urgentes, estabelecidos pelos ministros do TST. Fizemos requerimento, petição, através do escritório Capanema Belmonte, dizendo que se o atleta for negociado e sair do Brasil vamos ter dificuldade enorme para executar estes valores. Apresentamos requerimento pedindo urgência no julgamento dos embargos de declaração. É o que falta para encerrar no TST e voltar ao Rio. Aí vai ser a nossa vez, vai ser intimado para pagar e, se não pagar, vamos fazer penhora, indicar os bens dele. É o que acontece no caso Arão – explicou o VP jurídico Domingos Fleury ao canal do Wellington Arruda.

Comentários

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
19 de Janeiro de 2021 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Programa Alexandre Ferreira
« Programa Anterior
02:00 - Na Companhia Do Garcia
04:00 - Show do Mário Belisário
06:00 - Show do Antônio Carlos
08:00 - Show do Clóvis Monteiro
10:00 - Programa Isabele Benito
11:00 - Programa Francisco Barbosa
12:00 - Patrulha da Cidade
14:00 - Show do Pedro Augusto
15:30 - Show do Heleno Rotay
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
13:00 - Cidinha Livre
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »