Campeonato Brasileiro

Hulk nega ato de vandalismo e promete medidas judiciais e esportivas após acusação feita pelo Goiás

Jogador teve nome vinculado à quebra de uma porta no estádio da Serrinha, em Goiânia, no último sábado

Por Redação Tupi

Hulk em campo durante o empate com o Goiás
Foto: Pedro Souza/Atlético-MG

O atacante Hulk, do Atlético-MG negou ter sido o autor de um ato de vandalismo que danificou a porta do vestiário da arbitragem no estádio da Serrinha, após o empate em 2 a 2 com o Goiás, na noite do último sábado, em partida válida pela 4ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A informação do suposto chute de Hulk foi direcionada pela assessoria do Goiás através do Whatsapp. Já a assessoria do Galo, por sua vez, através do mesmo aplicativo de mensagens, informou que o camisa 7 não foi o responsável pelo ato, já que estava em outra área do estádio.

Mesmo sem ter conseguido identificar o autor, o Atlético-MG, através do seu diretor de futebol Rodrigo Caetano pediu desculpas ao transtorno e prometeu arcar com o prejuízo da equipe goiana.

Porta danificada no estádio da Serrinha
Foto: Guilherme Frossard

No domingo, Hulk emitiu uma notificação extrajudicial ao Goiás com pedido de retratação pública. Nesta, o jogador “refute veementemente” a acusação de vandalismo e deseja que, de forma amigável, o Goiás vá a público fazer a retratação, impedindo que o fato prejudique sua carreira.

Na peça da notificação extrajudicial feita pela advogada do jogador, Marisa Alija, é salientado que Hulk nunca adotou atitudes violentas na resolução de problemas, e que a acusação do Goiás atinge diretamente a sua imagem principalmente sendo um jogador de forte ligação com o público jovem.

Ainda na notificação, o craque do Galo estipulou um prazo de 24h para que a equipe goiana pudesse resolver a situação, o que não aconteceu. Diante dessa situação, Hulk pode tomar medidas judiciais e esportivas, como foi informando no documento enviado.

No caso, poderia acarretar em denúncia ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva, com o caso tendo possibilidades de se enquadrar no artigo Art. 243-D (“Incitar publicamente o ódio ou a violência”), e no 243-F (“Ofender alguém em sua honra, por fato diretamente relacionado ao desporto”).

Logo após toda a situação, o atacante utilizou o Instagram para se manifestar sobre a acusação. Ele escreveu o termo “Fake News” em cima de uma nota publicada por um portal de notícias, escrevendo: “Acusar alguém pelo que não fez é crime”.

Na súmula do árbitro Bruno Arleu, não existiu nenhuma menção relacionada ao nome do jogador, exceto o cartão amarelo recebido dentro de campo, por conta de uma reclamação, após o pênalti marcado para o Goiás e o gol marcado pelo atleta.

Comentários
recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
16 de Maio de 2022 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Show do Apolinho
« Programa Anterior
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »