Coronavírus

PSG e Barcelona realizam cortes de até 30% nos salários dos funcionários

Franceses e espanhóis defiram seus cortes, enquanto outros clubes ainda discutem uma forma de se adequar a Pandemia do novo Coronavírus

Por Beto Jr

Foto: Instagram/PSG

A bola parou de rolar nos gramados em todo mundo por conta da pandemia do novo coronavírus, e as finanças dos clubes, consequentemente, deixaram de receber receitas importantes. Por isso, enquanto os torneios não têm data para retorno, as equipes se veem mergulhadas em um problema extracampo: arcar com salários milionários sem fluxo de caixa.

O problema vem gerando um impasse em alguns clubes, que tentam chegar a um acordo com seus jogadores para fazer seus caixas respirarem e, ao mesmo tempo, não impactar de forma dura a vida dos atletas. Os últimos a colocarem em prática medidas financeiras, na última quinta-feira(26), foram Barcelona e PSG. Os catalães indicaram que tomaram a decisão de implementar uma redução salarial, mas não citaram a porcentagem; os franceses, por sua vez, adotaram o regime de “desemprego parcial”, no qual podem pagar apenas 70% dos salários brutos.

PSG

O PSG anunciou na última quinta-feira(26) que também usará um mecanismo previsto na legislação francesa para trazer um respiro ao seu caixa em meio ao problema público de saúde. Apesar de ter a maior folha de pagamento da Liga francesa, o clube parisiense foi um dos últimos a adotar o “desemprego parcial” para seus funcionários. Uma medida que permite o pagamento de apenas 70% do salário bruto dos trabalhadores e ainda prevê reembolso do Estado de cerca de 5,4 mil euros.

Barcelona

Foto: Instagram/Barcelona

O clube catalão vinha debatendo uma possível redução salarial com o elenco nas últimas semanas e, de acordo com a imprensa espanhola, as possíveis medidas não foram bem recebidas pelos jogadores. Entretanto, o clube divulgou um comunicado oficial na última quinta-feira, no qual indica que haverá uma “redução do dia útil do trabalho”, que se refletirá na redução proporcional dos vencimentos previstos em contratos. A diretoria teria recorrido a um mecanismo chamado Expediente de Regulação Temporal de Emprego (ERTE), previsto na legislação para situações de emergência.

Comentários
recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
12 de Agosto de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Show do Apolinho
« Programa Anterior
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »