Conecte-se conosco

Justiça

Defesa de Jairinho afirma ter elementos para abrir inquérito contra perito responsável por laudo de necropsia em corpo de Henry

Declaração foi dada pelo advogado Cláudio Dalledone em conversa com a imprensa na noite dessa segunda-feira (13)

Publicado

em

Advogado Claudio Dalledone
(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Após o encerramento da audiência de instrução e julgamento do caso Henry Borel realizada nessa segunda-feira (13), o advogado Cláudio Dalledone comentou os questionamentos feitos pelo cliente dele, o ex-vereador Jairinho, acerca da veracidade do laudo de necropsia feito pelo perito criminalista Leonardo Tauil. Em conversa com os jornalista, Dalledone garantiu a existência de elementos suficientes para apontar que o documento é falso.

“O laudo de necropsia é um documento onde temos fundada suspeita e elementos suficientes para instaurar um inquérito policial por falsa perícia. Há uma ilegalidade incontornável, que são as complementações. Isso é contra a lei, é uma ameaça contra todos nós”, disparou.

Ainda segundo o advogado, a defesa do ex-vereador irá em busca de que Leonardo Tauil responda judicialmente por falsa perícia. “Apontamos isso em juízo. Nós conseguimos angariar elementos suficientes de contradição, de obscuridade para instaurar um procedimento contra o médico legista que procedeu dessa forma”, alegou.

“Trata-se de um procedimento absolutamente irregular sob o ponto de vista médico legal e principalmente afrontoso ao que a lei determina”, completou Cláudio Dalledone.

De acordo com o discurso da defesa, as 23 lesões encontradas no corpo de Henry Borel foram provocadas por manobras de reanimação no hospital. Por esse motivos, eles solicitaram o interrogatório das médicas e das enfermeiras do Hospital Barra D’or que prestaram socorro ao garoto; além das imagens das câmeras de segurança da unidade médica e a realização de uma reprodução simulada no local.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *