Mundo

Argentina anuncia que irá renegociar prazos para pagar dívida com o FMI

Segundo o presidente argentino, Mauricio Macri, a intenção é reduzir o impacto da inflação e das incertezas no período pré-eleitoral

Por Redação Tupi

Segundo o presidente argentino, Mauricio Macri, a intenção é reduzir o impacto da inflação e das incertezas no período pré-eleitoral
(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Em pronunciamento feito na manhã desta quinta-feira, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, afirmou que está focado em reduzir o impacto da inflação e das incertezas no período pré-eleitoral. Segundo Macri, as medidas anunciadas pelo ministro da Fazenda, Hernán Lacunza, como a renegociação dos prazos para pagar a dívida com o Fundo Monetário Internacional (FMI), servirão “para defender a estabilidade cambial em curto, médio e longo prazos”.

Entre as medidas anunciadas na noite da última quarta-feira por Lacunza, ministro da Fazenda, está ainda a renegociação do pagamento da dívida da Argentina com o FMI. No ano passado, a Argentina recebeu um empréstimo de US$ 57 milhões. A primeira parcela deveria ser paga, a princípio, em 2021.

“A Argentina não tem um problema de solvência, mas de liquidez a médio prazo”, disse Lacunza, ressaltando que o país está comprometido com os pagamentos. A declaração ocorre um momento em que os mercados temem que o país se torne inadimplente.

As medidas econômicas foram anunciadas duas semanas após as eleições primárias, em que a chapa de Alberto Fernández e Cristina Kirchner surpreendeu nas urnas, alcançando 47% dos votos, muito acima dos 32% obtidos por Macri. Nos dias que se seguiram à votação, o dólar disparou e o risco-país aumentou. A Argentina está entre os países com mais altas taxas de inflação, tendo chegado a 48% no ano passado.

Quanto às dívida de curto prazo, o ministro Hernán Lacunza anunciou o reagendamento dos pagamentos de títulos em dólares a investidores institucionais, que detêm 10% desses papéis na Argentina. O objetivo é aliviar a pressão sobre as reservas internacionais e permitir que sejam usadas para intervir no mercado de câmbio e preservar a moeda.

O presidente argentino afirmou que as medidas econômicas foram tomadas depois de ter escutado seus apoiadores e opositores e pediu a colaboração de todos para que as eleições do dia 27 de outubro transcorram com tranquilidade. “Temos 59 dias pela frente até chegar às eleições, e é minha responsabilidade que elas transcorram da melhor maneira, mas nunca depende apenas do governo. Todos os que ocupamos um papel de liderança em nosso país sabemos o peso de cada passo que damos e como isso incide no presente e no futuro dos argentinos”, acrescentou o presidente.

Macri ressaltou que entende a insatisfação dos argentinos e citou “o cansaço de nadar contra a corrente, especialmente no último ano e meio, que foi muito duro para todos”. Ele disse que seu único objetivo é levar tranquilidade ao país. “Para isso, estou tomando medidas e implementando todas as ferramentas necessárias para reduzir as incertezas e resolver esses problemas que afetam o dia a dia, que impactam em preços e salários e na capacidade de chegar ao fim do mês”, afirmou.

Comentários
enquete

Amor eterno existe ou homem se casa por acomodação?

Carregando ... Carregando ...

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
22 de Outubro de 2019 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Show do Pedro Augusto
« Programa Anterior
15:00 - Show do Heleno Rotay
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »