Conecte-se conosco

Brasil

Carlos Bolsonaro usa Twitter para rebater reportagem da TV Globo e mostra supostos registros de condomínio

Segundo vereador, o material provaria que não há nenhuma solicitação de entrada para o imóvel de Jair Bolsonaro no dia da morte de Marielle Franco e Anderson Gomes

Publicado

em

Segundo vereador, o material provaria que não há nenhuma solicitação de entrada para o imóvel de Jair Bolsonaro no dia da morte de Marielle Franco e Anderson Gomes
(Foto: Reprodução)

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) usou sua conta oficial no Twitter, na manhã desta quarta-feira, para refutar o conteúdo de uma reportagem exibida pelo “Jornal Nacional”, da TV Globo, na noite da última terça-feira. Na matéria, o porteiro do condomínio “Vivendas da Barra”, onde Jair Bolsonaro mantém uma residência, afirma, através de depoimento, que Élcio de Queiroz, suspeito de ser um dos assassinos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, pediu para ir à casa do então deputado federal no dia do crime.

Na publicação, o filho do presidente da República compartilhou um vídeo, supostamente gravado nesta manhã, que traria registros internos do condomínio, que, segundo Carlos, comprovariam não ter nenhuma solicitação de entrada para o imóvel de número 58, no qual Bolsonaro residia, no dia 14 de março de 2018, data da morte de Marielle e Anderson. Entretanto, nas imagens, é possível ver o registro de uma ligação para a casa 58, às 15h58, da mesma data.

Em um primeiro vídeo, Carlos Bolsonaro reproduz um arquivo de áudio, registrado às 17h13 para a casa 65, na qual residia o policial militar reformado Ronnie Lessa, acusado pelo Ministério Público e pela Polícia Civil como o responsável pelos disparos do crime. Na mensagem, o porteiro anuncia a chegada do “senhor Élcio” e recebe como resposta “tá, pode liberar aí”.

Pouco depois da primeira postagem, o vereador carioca fez uma nova postagem, em que reproduz o áudio para casa 58. Além desse, ele ainda exibiu o conteúdo de uma ligação para casa 36, desse mesmo dia, na qual Carlos residia. “Vou mostrar aqui a ligação da portaria para a casa do deputado (hoje presidente), que realmente aconteceu. É lógico que, quando eu me referia anteriormente, eu me referia ao assunto citado pela Rede Globo, que foi o áudio de 17h13”, rebateu Carlos Bolsonaro durante a filmagem.

No áudio, uma voz feminina atende a ligação da portaria, porém não é possível identificar o que fala o porteiro. Na sequência, a mulher responde: “Pode descer, tá?”. Já na ligação para casa de Carlos Bolsonaro, o porteiro diz: “Seu Carlos, é o Uber”. Em seguida, o vereador responde: “Opa, valeu, obrigado”.

De acordo com a reportagem exibida pela TV Globo no “Jornal Nacional”, às 17h10 do dia 14 de março de 2018, Élcio de Queiroz teria chegado à portaria do condomínio e informado que ia para uma das casas pertencentes a Bolsonaro. Tanto o nome de Élcio como o carro ao qual dirigia, um Renault Logan, placa AGH-8202, aparecem no caderno de registros, naquela data. Segundo o porteiro, “seu Jair” é quem teria liberado a entrada.

Abaixo, veja os tuítes de Carlos Bolsonaro:

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.