Conecte-se conosco

Capital Fluminense

Aos 82 anos, jornalista e escritor Arthur Poerner morre no Rio de Janeiro

Arthur trabalhou em jornais como Correio da Manhã, Pasquim e Jornal do Brasil

Publicado

em

Arthur Poerner
(Foto: Reprodução)

O jornalista e escritor Arthur José Poerner, um dos fundadores do Partido Democrático Trabalhista (PDT), morreu na noite dessa quinta-feira (30), aos 82 anos, no Rio de Janeiro. A família não divulgou a causa da morte.

Parentes e amigos se despediram na tarde de sexta-feira (01º), durante o velório e enterro realizado no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul da cidade.

O livro “O Poder Jovem”, publicado pelo escritor em julho de 1968, se tornou uma referência para os movimentos estudantis. Entretanto, com menos de um ano de circulação, a obra foi censurada pela Ditadura Militar.

Arthur também trabalhou em jornais como Correio da Manhã, Pasquim e Jornal do Brasil. A crítica à ditadura em suas publicações fez com que ele fosse o mais jovem brasileiro cassado pelo regime e perdesse os direitos políticos por uma década.

Portelense, flamenguista e amante da boemia do Rio de Janeiro, Poerner escreveu, em parceria com Paulinho da Viola e Sérgio Cabral, livro em homenagem ao amigo Candeia. Com João do Vale, Baden Powell e Biafra compôs canções gravadas por Cristina Buarque, Eliana Pitman e Vanja Orico.

Ele deixa esposa, uma filha e enteada.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.