Conecte-se conosco

Rio

Casa de Convivência Clara Nunes é inaugurada no Parque Madureira

Cerimônia contou com a presença de autoridades municipais

Publicado

em

Autoridades presentes na inauguração da Casa de Convivência Clara Nunes
Inauguração Casa de Convivência Clara Nunes
Autoridades presentes na inauguração da Casa de Convivência Clara Nunes

Inauguração Casa de Convivência Clara Nunes  Fotos: Beth Santos

O secretário municipal do Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida, Junior da Lucinha, inaugurou nesta sexta-feira (28/05) a Casa de Convivência Clara Nunes, no Parque de Madureira, na Zona Norte. A iniciativa, que contou com a presença do secretário municipal do Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere, do Subprefeito da zona Norte, Diego Vaz, e do administrador do Parque, Cláudio Cassetti, marca a retomada de forma gradual das atividades desses espaços, que estavam fechados havia mais de um ano por causa da pandemia.

As Casas de Convivência oferecem atividades gratuitas para os idosos a partir de 60 anos, com o objetivo de gerar impacto direto na promoção da saúde física, mental e emocional dos frequentadores.

A previsão é que a Casa Bibi Franklin Leal, na Tijuca, reabra daqui a 10 dias. Em seguida, será a vez da Casa Padre Velloso, em Botafogo, e gradativamente a Casa Maria Haydee, na Gávea; a Casa Nana Sette Câmara, em São Conrado; a Casa Carmem Miranda, na Penha; e por último a Casa Dercy Gonçalves, em Santa Cruz.

De acordo com o secretário do Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida, Junior da Lucinha, as casas são importantes para o convívio dos idosos, que tanto precisam de atenção e sofreram com o distanciamento social nesse período de pandemia.

– Hoje é um dia importante porque estamos inaugurando uma Casa de Convivência no Parque Madureira com o nome de Clara Nunes, que tem toda a simbologia da Portela, de Madureira e de toda a Zona Norte. Nessas casas, temos psicólogos e nutricionistas, são oferecidas várias atividades, como tai chi chuan, memória, artesanato e zumba. Enfim, é uma área onde os idosos convivem entre si, trocam suas experiências, fazem as atividades – destacou, para em seguida completar:
– Como as Casas de Convivência ficaram paradas por um ano, por conta da pandemia, aumentou o número de idosos em depressão, que pioraram a diabetes e que a pressão ficou descompensada. A volta das casas vai dar mais qualidade de vida para eles.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.