Conecte-se conosco

Economia

Estado apresenta mapa da produção de energia solar a representantes do setor

Documento produzido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico faz parte das ações para alavancar a geração de energia limpa e renovável no estado

Publicado

em

(Foto: Reprodução/Sec. Agricutlura)

O Mapa da Produção de Energia Solar no Rio de Janeiro foi apresentado pelo Governo do Estado a representantes do setor de energia. Elaborada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, em parceria com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), a publicação apresenta o cenário de produção, as oportunidades de crescimento e as iniciativas do Executivo fluminense para estimular os investimentos na geração de energia limpa no estado.

“O Rio de Janeiro tem um enorme potencial para o desenvolvimento da energia solar, que já alavancou cerca de R$ 1,9 bilhão em investimentos no estado e criou mais de 10 mil vagas de emprego para a população. É uma fonte de energia limpa e sustentável, que traz inúmeros benefícios ambientais e também promove significativa economia nas contas por ser bem mais barata”, afirma o governador Cláudio Castro. O Mapa mostra que o estado ocupa o 8º lugar no ranking nacional de geração distribuída, com potência instalada atual de mais de 428 MW, correspondendo a 4,05% da matriz energética brasileira.

O Rio de Janeiro é também o 5º estado do Brasil em quantidade de sistemas solares instalados: mais de 45 mil casas, mil propriedades rurais, 3.500 comércios e 250 indústrias utilizam a fonte, e há mais de 100 sistemas instalados. Além disso, o Rio de Janeiro possui hoje 10 projetos de geração centralizada, que totalizam a potência de mais de 4,5 MWp e geração de até 7,4 GWh/ano. Dois outros projetos estão em fase de construção, em São João da Barra, no Norte Fluminense, e totalizam a potência de 468 MWp.

Estiveram presentes ao evento de apresentação do mapa representantes da AgeRio, BNDES, Porto do Açu, GNA, Shell, Eneva, Natural Energia, GreenYellow, Revolusolar, e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), entre outras instituições e empresas do setor de energia.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.