Flamengo

Flamengo terá que pagar pensão aos familiares das vítimas de incêndio no Ninho do Urubu

Ministério Público do Rio e Defensoria Pública conseguiram liminar e clube terá que pagar pensão de R$ 10 mil mensais para cada família

Por redação tupi

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada do Desporto e Defesa do Torcedor (GAEDEST/MPRJ), e a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro obtiveram, nessa quinta-feira (05), liminar que obriga o Flamengo a pagar, de forma imediata, pensão mensal no valor de R$ 10 mil a cada uma das famílias dos dez jovens mortos no incêndio ocorrido no Centro de Treinamento do Ninho do Urubu, em fevereiro deste ano.

Além dos familiares dos jovens, o clube terá que incluir na sua folha de pagamento outros três atletas feridos no acidente. Pelo descumprimento, o Flamengo estará sujeito à multa diária de $ 1 mil para cada beneficiário negligenciado. De acordo com a decisão, o clube também terá de pagar os valores referentes aos dez meses já decorridos desde o incêndio. Na liminar, o juiz Arthur Eduardo Magalhaes Ferreira lamentou o fato de o clube ainda não ter cumprido, até a presente data, e ainda que de forma parcial e provisória, a reponsabilidade de prestar apoio às vítimas diretas e indiretas do incêndio.

Pedro Rubim, promotor de Justiça e membro do GAEDEST/MPRJ, ressaltou a importância da decisão para as famílias das vítimas e para que o clube, enfim, cumpra com todas as suas responsabilidades pelo episódio. “A liminar é essencial para a proteção efetiva dos direitos das famílias daqueles jovens atletas e também para que o Flamengo volte a negociar o pagamento integral de todas as indenizações devidas”, pontuou. Além do pensionamento mensal, os órgãos buscam a responsabilização do clube pelo pagamento integral de danos materiais, morais e da indenização pela perda da chance de os jovens atletas terem uma carreira profissional de sucesso.

Cintia Guedes, defensora pública e coordenadora cível da DPRJ, destacou a importância da liminar, uma vez que o clube ainda não sinalizou o pagamento de uma indenização para as famílias, apesar das diversas tentativas de acordos. “A decisão é extremamente importante, pois assegura às famílias dos meninos mortos um valor provisório para a sua manutenção financeira, até que haja o pagamento das indenizações devidas pelo clube”, afirmou. O defensor e subcoordenador do Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon), Eduardo Tostes, também declarou: “Esperamos que, com essa decisão, o Flamengo volte para ajustar um acordo definitivo conosco em favor de todas as vítimas deste infeliz evento”.

recomendadas
Comentários

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
18 de Janeiro de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Nenhuma programação disponível
« Programa Anterior
21:00 - Show de Bola
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »