Conecte-se conosco

Capital Fluminense

Funcionária de restaurante em Botafogo é vítima de racismo e homofobia

Lizandra acusa cliente, uma mulher de Foz do Iguaçu, de tê-la xingado

Publicado

em

Crime de racismo em restaurante de Botafogo
Crime de racismo em restaurante de Botafogo (Foto: Reprodução)

Uma mulher de Foz do Iguaçu foi presa em flagrante pelo crime de injúria racial contra uma funcionária, que é negra, no restaurante Mãe Joana, em Botafogo, na Zona Sul do Rio. Essa confusão aconteceu no domingo e foi flagrada em vídeos por clientes que estavam no local.

Em meio à discussão, Camila Berta, 32, chama a vítima de “macaquinha”. A Lizandra Souza de 27 anos explicou que estava em uma pausa do trabalho, jantando com uma colega, quando a começou a se irritar, porque estava com fome, e elas estavam comendo. A

mulher então, do nada, falou: ‘tinha que ser sapatão’. Pra acalmar os ânimos, a funcionária chega a oferecer a comida dela pra mulher, que rejeita e ainda a chama de ‘macaquinha’.

A mulher ainda tenta se justificar dizendo que a mãe dela é negra. Nos vídeos da pra ouvir um amigo da Camila a contendo e outros clientes vaiando:

O caso foi levado pra delegacia, mas a mulher pagou R$ 2 mil e foi liberada. O caso já está na Justiça.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.