Conecte-se conosco

Capital Fluminense

Fundação para a Infância e Adolescência e RIOgaleão lançam campanha contra desaparecimento infantil

Ação dura 30 dias e neste período será veiculado nas TVs do terminal 2 do aeroporto carioca

Publicado

em

Rio Galeão
Rio Galeão (Foto: Reprodução)

A Fundação para a Infância e Adolescência (FIA/RJ), em parceria com o RIOgaleão, o Aeroporto Internacional Tom Jobim, realizam de forma conjunta, uma campanha de prevenção contra o desaparecimento de crianças e adolescentes

A ação dura 30 dias e neste período será veiculado nas TVs do terminal 2 do aeroporto carioca, um vídeo informativo desenvolvido pela FIA/RJ (Fundação para a Infância e Adolescência) sobre como prevenir novos desaparecimentos de crianças e adolescentes e quais medidas tomar em um novo possível caso.

O material apresenta algumas medidas de segurança, como a emissão da carteira de identidade desde a primeira infância, para facilitar a identificação, localização e busca. O vídeo apresenta outras orientações, como a importância da identificação de crianças, com pulseiras ou crachás, antes de sair de casa; sempre aguardar que a criança entre no local de destino, como em escolas, festas e casas de amigos;

A Fundação para a Infância e Adolescência alerta para a importância da cultura da identificação das crianças em sua mais tenra idade. Muitas pessoas não sabem, mas é possível emitir a carteira de identidade (Registro Civil) de uma criança logo após o seu nascimento. Essa é uma medida essencial na prevenção ao desaparecimento de crianças.

Tão importante quanto a prevenção, é saber como proceder em um possível caso. A Lei n° 11.259/2005 (Lei da Busca Imediata) diz que a investigação do desaparecimento de crianças e adolescentes será realizada imediatamente após a notificação dos órgãos competentes. Caso uma criança desapareça, procure imediatamente a delegacia mais próxima de sua residência e registre o boletim de ocorrência. Não é necessário esperar 24 horas.

Papel da FIA/RJ

A FIA oferece apoio às famílias na elaboração e divulgação dos cartazes das crianças desaparecidas; divulgação com a grande rede de parceiros na mídia e nas redes sociais, além do atendimento psicossocial. Após a localização o apoio é continuado através do atendimento psicossocial e dos encaminhamentos necessários para as outras políticas (saúde, educação, etc).

De acordo com dados da Fundação para a Infância e Adolescência – RJ (FIA/RJ), 182 novos casos de desaparecimentos foram registrados no ano de 2021; em 2019, por exemplo, o número foi de 90. No entanto, a cada 10 registros, 9 foram solucionados.

Ao todo, foram registrados no banco de dados do Programa SOS Crianças Desaparecidas 4.151 casos, sendo 3.563 solucionados até o presente momento, um êxito de mais de 85%, no entanto ainda há 589 em aberto.
Em caso de desaparecimento registre imediatamente a ocorrência em qualquer delegacia de polícia, levando a foto mais recente que tiver da pessoa.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.