Conecte-se conosco

Ciência

7 dicas para as mães de primeira viagem no período de resguardo da Dra. Ana Bárbara Jannuzzi

Confira os cuidados que se deve ter com o recém nascido de acordo com a pediatra

Publicado

em

Dra. Ana Bárbara Jannuzz
7 dicas para as mães de primeira viagem no período de resguardo da Dra. Ana Bárbara Jannuzzi

Filho recém-nascido nos braços, quem nunca se perguntou: “E agora?”. Na fase chamada de resguardo ou puerpério, que dura em média 45 dias, ocorrem muitas mudanças físicas e psíquicas. Além da queda da produção hormonal, o corpo passa por diversas transformações, sendo a principal a retomada dos órgãos internos ao mesmo estágio antes da gravidez.

De acordo com a médica Ana Bárbara Jannuzzi, as mães não são heroínas e devem olhar para si também, com todo o carinho. “O puerpério é difícil mesmo, mas ele acaba. Lembre-se disso: dias difíceis não fazem uma vida difícil”.

Ela, que faz pós-graduação em Pediatria, e trabalha  orientando mães desde o início da gestação até o bebê completar dois anos, elaborou uma lista com sete dicas para as mães de primeira viagem colocarem em prática nesse período pós-parto.

Saia com seu bebê de casa assim que se sentir confortável.

“Sair de casa para respirar ar puro faz bem para a alma. Não precisa ficar esperando o bebê completar uma determinada idade ou tomar todas as vacinas. Basta ter cuidado aonde ir. Prefira parques e locais abertos e evite restaurantes, mercados e shoppings. Um sling pode ajudar a carregar o bebê com segurança nessa fase”, orienta;

Beba muita água

“Tenha sempre uma garrafa de água em mãos, para facilitar o consumo. A água é fundamental para a produção de leite, e tendemos a beber menos do que o necessário nesse momento”

Mantenha pelo menos um hábito pessoal importante

“Pode ser usar sempre brincos, tomar um banho mais demorado ou um café quentinho. Cada uma saberá o que traz felicidade, mas é importante buscar manter esse hábito durante o puerpério, que é o período de transição”;

Não tente dar conta de tudo

“A casa pode esperar e a louça também. Aceite ajuda se tiver, e entenda que é uma fase. Logo o bebê será menos dependente e todas as coisas vão voltar ao lugar”

Lembre-se de fazer pequenas pausas ao longo do dia e respire fundo

“O puerpério é difícil mesmo, mas ele passa”;

Chore, se precisar

“Muitas mães sentem necessidade de chorar e acham que não podem ou não devem. Você tem esse direito”

– “Busque outras mães e famílias que estejam no mesmo momento, com filhos pequenos. Você vai perceber que não está sozinha, e esse sentimento de comunidade é maravilhoso. Pracinhas são excelentes para encontrar novas amigas”, finaliza.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.