Carnaval

Amigos e personalidades lamentam a morte de Laíla

Personagem marcante do Carnaval carioca estava internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Israelita Albert Sabin, no Maracanã, morreu, na manhã desta sexta-feira (18), no Rio de Janeiro, vítima da Covid-19

Por Redação Tupi

Amigos e personalidades lamentam a morte de Laíla
Amigos e personalidades lamentam a morte de Laíla (Foto: Ricardo Almeida/ Divulgação)

O diretor de carnaval, Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, conhecido como Laíla, morreu, na manhã desta sexta-feira (18), no Rio de Janeiro, vítima da Covid-19.  Ele teve uma parada cardíaca decorrente de complicações da doença. Laíla foi infectado pelo coronavírus mesmo após ter sido imunizado contra a doença após ter completado o ciclo de imunização ao receber as duas doses da vacina.

Personagem marcante do Carnaval carioca, Laíla estava internado no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Israelita Albert Sabin, no Maracanã, na Zona Norte do Rio. O diretor deu entrada na unidade de saúde no último domingo (13) para exames de rotina e acabou testando positivo para o coronavírus.

Amigos e personalidades lamentaram a morte do sambista.

Beija-Flor:

A Beija-Flor declara luto oficial por Laíla, seu ex-diretor de Carnaval

Com tristeza e pesar, a Beija-Flor de Nilópolis informa aos sambistas e à sociedade nilopolitana e fluminense a morte de seu ex-diretor de Carnaval Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, o Laíla, aos 78 anos, nesta sexta-feira, 18. Acometido pela Covid-19, ele estava internado desde sábado, 12, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Israelita Albert Sabin, na Tijuca, Zona Norte.

Laíla havia recebido as duas doses do imunizante contra o coronavírus ao longo do primeiro semestre deste ano, após meses de isolamento em casa se protegendo da doença. Ainda assim, acabou infectado e não resistiu às complicações da infecção. Além da própria família, sua grande paixão além do Carnaval, Laíla deixa uma legião de admiradores que o viram revolucionar o espetáculo da Marquês de Sapucaí ao longo de mais de 50 anos de trabalho.

Na Beija-Flor, onde permanecerá eternamente na memória de cada componente, Laíla atuou por quase três décadas — a dedicação ocorreu em três passagens diferentes: entre 1975 e 1980, 1987 e 1992 e, por fim, 1994 e 2018. No período mais recente e duradouro, o laço se manteve por 23 anos e somou oito vitórias da Deusa da Passarela com Laíla comandando a brilhante Comissão de Carnaval que transformou em arte enredos célebres como “Manaus, Amazônia, Terra Santa (…)”, de 2004; “Áfricas (…)”, de 2007 e “A simplicidade de um Rei”, de 2011.

A perda de Laíla coloca em luto oficial, por tempo indeterminado, toda a família Beija-Flor (aqui representada pelo presidente de honra Anísio Abraão David e o presidente Almir Reis), ao mesmo tempo em que mobiliza toda a comunidade carnavalesca, já tão impactada com outras partidas significativas em meio à pandemia.

Conhecido pela genialidade e a personalidade forte, Laíla carregou consigo o mérito de ter transformado os desfiles da Beija-Flor em um “rolo compressor” capaz de cruzar a Avenida sem perder décimos em praticamente todos os quesitos, principalmente os “de chão” (Harmonia e Evolução, intimamente ligados ao canto e a dança)

 

Salgueiro

Que dia triste para o samba! Após a partida de mestre Mug, outro grande professor nos deixa.

“Filho da Revolução Salgueirense, Laíla é um dos grandes nomes da história do Carnaval. Polêmico, enérgico, curioso, líder, genial. Impactou definitivamente a maneira de evoluir das escolas de samba ao compactar os desfiles e deslocar a massa de componentes com unidade rítmica, harmônica e de forma pulsante. A voz grave que participou de momentos inesquecíveis do Carnaval faz ecoar as diretrizes de um modelo de apresentação em cortejo único no mundo: o desfile das escolas de samba. Foi assim que Laíla fez-se rei no reinado dos grandes desfiles. ” (Trecho do texto de João Gustavo Melo que faz parte do acervo do #Sal60 agora disponível também em livro!)

Laíla, a família salgueirense te agradece por absolutamente tudo o que você fez por nós e pelo carnaval.

Nossa reverência hoje e sempre.

#Salgueiro

Unidos da Tijuca:

O dia é muito triste para os sambistas. Perdemos Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, mestre Laíla, que foi nosso diretor de Carnaval em 1980,1981,1982 e participou da comissão de carnaval em 2019. Laíla é mais uma vítima da covid-19. Agradecemos por todo legado deixado e desejamos nossos profundos sentimentos aos familiares e amigos. Obrigado por tudo mestre, siga em PAZ!

 

Mocidade:

Hoje o Mundo do Samba também perdeu o querido Laíla, grande ícone da história do carnaval, um dos maiores contribuintes para a nossa cultura. Estamos muito consternados e estendemos esse sentimento aos amigos e familiares. Descanse em paz, mestre Laíla! A Mocidade te agradece pelos serviços prestados ao Carnaval!

 Imperatriz Leopoldinense:

O diretor de carnaval, multicampeão do carnaval, Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, conhecido como Laíla, morreu, na manhã desta sexta-feira (18), no Rio de Janeiro. A Imperatriz Leopoldinense, através da Presidente Catia Drumond e toda diretoria, se solidariza aos familiares, amigos e a todo mundo do samba.

Laíla, seu legado se mantém vivo. Descanse em paz.

 

Grande Rio:

O Acadêmicos do Grande Rio está de luto pelo falecimento de Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, o Laíla. Ele foi Diretor de Carnaval da nossa agremiação em 1993 e 1994, sendo um dos criadores da ala de casais de mestre-sala e porta-bandeira mirins, tradição que reavivamos no último Carnaval.

O nosso presidente Milton Perácio e os nossos Presidentes de Honra Jayder Soares, Leandro Soares e Helinho de Oliveira lamentam profundamente essa irreparável perda para o mundo do Carnaval e, em nosso caso, particular, por se tratar de um grande amigo. Nossas condolências à família e que Deus conforte os seus corações.

Unidos de Vila Isabel:

“Luto – Laíla”

Vila Isabel lamenta morte de Laíla (Reprodução: Redes Sociais)
Vila Isabel lamenta morte de Laíla (Reprodução: Redes Sociais)

 

Neguinho da Beija-Flor:

Vai ficar a saudade daquele que foi meu primeiro produtor musical, no início da minha carreira, no Cordão da Bola Preta, meu amigo durante 50 anos da minha vida!!

Personalidade fortíssima, excelente profissional e amigo de todas as horas!!

Luiz Fernando Ribeiro do Carmo, o “Laíla, melhor diretor de carnaval de todos os tempos!!

Que Deus o tenha, meu amigo!!

Selminha Sorriso, porta-bandeira da Beija-Flor:

Obrigada Mestre @lailacarnaval !!!

Em 1995 o baixinho Lala conversou com o tio Anisio @fc_anizio.abraaodavid acerca da possibilidade de convidar aqueles dois que estavam ainda no começo das suas trajetórias.

Os dois acreditaram que daria certo! Amigos, foi um privilégio trabalhar com o Lala! Ele era aquele que comandava a tropa buscando a força que nem vc sabia ter.

Recebi poucos elogios, no entanto muito conhecido! Em alguns anos ele estava mais calmo, em outros ele cobrava mais, era a busca pela perfeição!

Aprendi não sentir cansaço, não reclamar, me superar, não me acomodar…. Só tenho a agradecer ao Mestre Lala!!! Que ele seja cercado de luz e amor no.plamo espiritual.

Wander Pires, intérprete da Mocidade:

Querido e amado menestrel, era assim que eu o chamava.

Que tristeza estar escrevendo isso. E mais triste ainda ver nossa cultura perdendo grandes símbolos, pessoas marcantes, históricas, essenciais para o nosso samba. Como isso dói.

Obrigado por tantos ensinamentos,

E acima de tudo por ser um excelente profissional que com certeza já está fazendo falta!

Fique com Deus, Mestre Laíla!

Fábio Fabato, jornalista e especialista em carnaval:

“Vem na batida do tambor

Voltar na memória de um Griô

Fala cansada, mãos calejadas

Ouça, menino Beija-Flor…”.

Haverá um dia…

Um dia…

Em que no país de maiora preta, mas racista e desigual, entenderão que escola de samba esticada na pista é muito, muito além de fuzarca.

É divã para sentarmos e nos processarmos social e até psicologicamente – de modo a aguentarmos o tranco de 360 dias de suor pela frente.

Nesta data ainda longe de nascer, estará Laíla – e no alto de um trono de rei – para desfilar as lições necessárias e sacudir este “gigante pela própria natureza” ainda tão menino como construção civilizatória.

A despedida de Laíla mexe com nossas urgências ainda por alcançar.

Que saudade, seu rabugento amado! Nossa…

 

Cid Carvalho, carnavalesco:

Não tenho palavras para traduzir minha tristeza e, me restou apenas uma para refletir a minha gratidão: OBRIGADO!

Siga em paz, Laila!

Fran-Sérgio, carnavalesco:

Que Deus te ilumine sempre…. Obrigado por tudo meu amigo….mestre. Vai em paz .nessa nova caminhada

Cláudio Castro, governador do Rio:

A comunidade do Carnaval está de luto. Luiz Fernando do Carmo, o Laíla, não resistiu e nos deixou hoje. Ficam o seu legado histórico e uma gratidão indescritível de todos que desfrutaram da sua companhia. Vá em Paz, Mestre. Aos familiares e amigos desejo força e superação na alegria que ele inspirava.

 

 



recomendadas
Comentários

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
31 de Julho de 2021 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Botequim do Mister
« Programa Anterior
Nenhum programa encontrado
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »