Conecte-se conosco

Brasil

Anvisa faz operação contra comercialização de medicamentos falsos no RJ

Ao todo, estão sendo cumpridos um mandado de prisão e 32 de busca e apreensão nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro

Publicado

em

Anvisa
Anvisa (Foto: Divulgação)

Servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Polícia Federal deflagraram, nesta quinta-feira (17), uma operação no Rio de Janeiro e em mais cinco estados contra a importação e a comercialização de medicamentos falsificados no Brasil.

Batizada de Operação Autoimune, as investigações tiveram início com uma apreensão no Aeroporto Internacional de Campo Grande, na capital do estado do Mato Grosso do Sul, de várias caixas de medicamentos de origem argentina, contendo o princípio ativo “Neostigmina”, sem documentação. Na ocasião, também foram apreendidos medicamentos de imunoglobulina comprovadamente falsos, que também vieram da Argentina.

“Medicamentos de origem irregular não têm qualquer garantia sobre suas condições de qualidade. Mesmo nos casos em que a Anvisa autoriza a importação de forma excepcional de produtos sem registro no país é necessário o cumprimento de procedimentos para que se garanta a segurança dos pacientes”, declarou a Anvisa por meio de nota.

Ao todo, estão sendo cumpridos um mandado de prisão e 32 de busca e apreensão no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro.

O metilsulfato de neostigmina é utilizado para o tratamento de miastenia grave e para inverter os efeitos dos relaxantes musculares. Atualmente, há dois medicamentos com registro válido na Anvisa contendo esse insumo farmacêutico ativo (IFA): Normastig e o medicamento genérico Metilsulfato de neostigmina.

A imunoglobulina humana é um hemoderivado obtido a partir de plasma humano e essencial no ambiente hospitalar, sendo utilizada atualmente para o tratamento de doenças inflamatórias e autoimunes. No momento, há diversos produtos com registro válido que podem ser consultados na página da Anvisa: https://consultas.anvisa.gov.br/#/medicamentos/.

Continue lendo