Entretenimento

Fábio Sina mostra versatilidade no EP de estreia, titulado como ‘Selvagem’

Novo trabalho do cantor conta uma história do início ao fim que transita entre esses dois mundos

Por Victor Yemba

(Foto: Alessandro Marinho/ Divulgação)

Uma das definições de selvagem é “aquele que nasce ou se desenvolve de forma indisciplinada ou sem controle”. O termo ganha um novo significado no trabalho de Fábio Sina. Nesta sexta-feira (4), o cantor e compositor lança o seu EP de estreia, o aguardado “Selvagem”.

As composições são de Fábio e a produção ficou por conta do coletivo VINTEUM da Cluster Produtora, além de Victor Cavalcanti (um dos produtores de “Para”, atual single promocional) e Leozin. A mixagem e masterização são da Cluster Produtora.

“Ser selvagem é ser a versão mais real de si. É não se deixar levar por nada, ter opiniões fortes e ir atrás do que quer. Existimos em dois mundos: aquele particular, que vive dentro de nós, onde somos a nossa versão mais real. E aquele que compartilhamos com os outros, onde buscamos sempre ser nós mesmos, mas nem sempre conseguimos”, afirma Fábio.

(Foto: Alessandro Marinho/ Divulgação)

O EP conta uma história do início ao fim que transita entre esses dois mundos. Sina narra sobre o período que viveu nos anos de 2016 e 2017, logo após se assumir como um homem gay e viver as suas primeiras experiências.

Além de relacionamentos, o artista fala sobre sua jornada de autoconhecimento, as suas raízes no Complexo do Alemão e a luta LGBTQIA+. O objetivo do projeto é ser um cartão de apresentação de Fábio para o público e para a indústria da música. O artista quer mostrar o que pode fazer vocal e sonoramente e também expor as bandeiras que defende.

Comentários

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
18 de Janeiro de 2021 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Show do Pedro Augusto
« Programa Anterior
15:30 - Show do Heleno Rotay
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »