Conecte-se conosco

Automobilismo

Por fala racista e homofóbica, Nelson Pique é alvo de denúncia no Ministério Público

MP analisa queixa recebida; ações públicas solicitam indenização na casa de R$ 10 milhões

Publicado

em

Foto: Reprodução

Após o caso de racismo e ofensas de cunho homofóbico em relação do piloto Lewis Hamilton, da Fórmula 1, Nelson Piquet, ex-piloto da categoria, se tornou alvo de uma denúncia do Ministério Público e de ações públicas por danos morais, cuja indenização prevista é de R$ 10 milhões.

O Núcleo de Enfrentamento à Discriminação (NED) do MPDFT corroborou o recebimento da queixa, que segue em análise, mas não deu detalhes da acusação. Três deputadas federais, segundo a Folha de S. Paulo, são as autoras da denúncia.

Já as ações públicas foram protocoladas por entidades de defesa aos direitos da população negra e da comunidade LGBTQIA+, como a Aliança Nacional LGBTI, o Centro Santos Dias de Direitos Humanos, A Associação Brasileira de Famílias Homotransafetivas (Abrafh) e a EducAfro.

O caso tomou notoriedade mundial no começo da última semana, quando o trecho de uma entrevista feita com Piquet no fim de 2021 foi divulgado nas redes. No recorte, o piloto se refere a Hamilton como “neguinho” por pelo menos duas vezes ao avaliar a batida do britânico com Max Verstappen – genro do tricampeão – na edição passada do GP da Inglaterra.

“O ‘neguinho’ meteu o carro e deixou. O Senna não fez isso. O Senna não fez isso. Ele foi, assim, ‘aqui eu arranco ele de qualquer maneira’. O ‘neguinho’ deixou o carro. É porque você não conhece a curva; é uma curva muito de alta, não tem jeito de passar dois carros e não tem jeito de passar do lado. Ele fez de sacanagem” – disse o ex-piloto em entrevista.

Anteriormente, a fala de Piquet foi alvo de repúdio da própria F1, da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e da Mercedes, equipe de Hamilton, além de outras escuderias e pilotos. O brasileiro oi suspenso do Clube de Pilotos Britânicos, do qual fazia parte como membro honorário e, segundo a imprensa britânica, ainda foi banido do paddock da F1.

Nas vésperas do GP da Inglaterra, porém, outro trecho da mesma entrevista foi divulgado pelo portal Grande Prêmio. Neste, o tricampeão repete o termo racista e ainda faz uso de uma expressão homofóbica, além de ofender os ex-pilotos Keke e Nico Rosberg.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.