Botafogo

Exclusivo! Confira a entrevista com Durcesio Mello, candidato à presidência do Botafogo

Modelo oficial de campanha será lançado oficialmente no fim do mês de julho

Por Thiago Veras

64 anos, engenheiro e empresário, Durcesio Mello foi o primeiro de forma oficial a lançar sua candidatura à presidência do Botafogo. Durcesio respira a política do clube desde 1994, mas participou de apenas uma eleição em 2014, quando foi vice na chapa de Thiago Alvim. Por três anos foi conselheiro do Botafogo. O lançamento oficial do modelo de campanha está previsto para o fim de julho. A entrevista foi produzida no programa ‘Super Futebol Tupi’ neste domingo (21). Durcesio explicou porque tomou essa decisão. Confira no tupi.fm.

– Só fazer antes uma observação. Hoje é o dia da comemoração dos 50 anos do tricampeonato mundial em que o Botafogo participou bastante com Jairzinho fazendo gol em todos os jogos, Roberto Miranda, Paulo Cézar e Rogério como observador. É um dia por acaso muito identificado com Botafogo. Resolvi porque isso começou lá atrás com Montenegro que queria que eu me lançasse há duas eleições. Ele acha que é um jeito de tentar resolver os problemas do Botafogo, que são enormes. Acha que a visão empresarial que eu tenho de vários negócios poderia ajudar. Obviamente, agora mudou o cenário. Saindo a S/A o presidente vai ficar com o Botafogo social e esportes olímpicos, no caso as sedes, basquete, vôlei, polo aquático, Remo, que é estatutário. Não deixa de ser um desafio também. Agora estou num momento certo para fazer isso porque profissionalmente não pude vir três anos atrás. Agora minha vida tá mais definida. Tem muito a ver com paixão e ajudar o nosso clube – afirmou.

Foto: Reprodução internet

Durcesio Mello comentou a ligação que possui com Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente e hoje integrante do comitê gestor de futebol do Botafogo.

– O Montenegro é um amigo meu desde sete anos de idade. A gente estudou juntos até a universidade. Fui fazer engenharia e ele economia. Ali nos separamos em termos estudantis. Sou amigo dos irmãos dele, conheci a mãe e o pai. É uma pessoa que admiro muito, gosto e dividimos muitos valores em termos de vida. É muito bacana ter esse apoio dele, que pra mim é o maior botafoguense que tem. Tem vários grandes botafoguenses, mas se ele não for o maior, certamente está entre os três maiores. Dá muito orgulho estar com ele. Sei que vai me ajudar também. É uma amizade que tem mais de 50 anos – disse.

Durcesio afirmou que está confiante no projeto de transformação em clube-empresa, que deve ser implantado no segundo semestre de 2020.

– A S/A não é a solução só para o Botafogo, mas também para a maioria dos clubes brasileiros, exceto talvez o Flamengo que está em ‘céu de brigadeiro’. O Corinthians está com problemas sérios, o Cruzeiro já perdeu pontos e está na Série B, o Santos não tem dinheiro, o Vasco está não sei quantos meses atrasado, o Fluminense também em uma situação caótica. O Botafogo tá dando um exemplo e saindo na frente para fazer esse modelo de empresa. Tenho falado com as pessoas, o próprio Montenegro a gente se fala muito. Acho que em mais 30 dias a gente vai poder anunciar isso. Hoje, o futebol é um caixa único e acaba pagando muitas despesas do Botafogo social, como o cloro da piscina, eucalipto da sauna, luz e funcionários. Deixando de ter esse dinheiro, a receita que sobra será para o Botafogo social, que são os aluguéis e mensalidades dos sócios-proprietários. Não é suficiente para pagar a estrutura que o Botafogo tem com as sedes. Vamos ter que reinventar e criar receitas novas para o clube. Fazer campos para aluguel, uma academia, existe um projeto que vai ser anunciado dia 26 que vai detalhar tudo isso. O Botafogo vai ter uma cadeira em uma espécie de conselho consultivo digamos assim na S/A, que pode ser o presidente ou quem o presidente indicar, que nos permite monitorar e controlar tudo que está sendo feito – Explicou.

O candidato acredita que a eleição no Botafogo será diferente com a mudança de comando que vai ser realizada no futebol do clube, que vai passar a ser gerido pelos representantes da S/A.

– O que entendi é que o presidente vai ser um dos membros desse tal conselho. Vai participar, saber das contas, do que acontece no dia a dia mais ou menos do futebol. O conselho mesmo que vai gerir o futebol do Botafogo ele não vai estar. Serão três escolhidos pela S/A, pelo fundo, os integrantes que vão fazer parte do conselho que vai balizar o CEO que vão ter. Vão ter um diretor profissional de futebol, um diretor comercial, jurídico, até porque os atletas terão contrato com eles. Não será uma participação tão próxima, porém terá uma participação porque estão usando a nossa marca – Relatou Durcesio Mello, que quer transformar o atual modelo de gestão em um trabalho voltado para a profissionalização. Segundo ele, essa é a principal bandeira da sua campanha.

– Num primeiro passo, tirando o vice-presidente de futebol que não vai ter mais, continua a vice-presidência social, de esportes, financeira talvez e uma comercial. Vai continuar existindo um clube com receitas e despesas. O mais importante que eu considero ser o número 1 da nossa campanha é a profissionalização. Quero fazer um modelo de governança com compliance, uma gestão profissional do clube com cargos, CEO e diretores remunerados para gerir como se fosse uma empresa. Por mais que seja um faturamento pequeno que vai ficar do Botafogo social, não deixa de ser uma empresa e temos que ter pessoas trabalhando. Esse modelo que os clubes brasileiros possuem de amadorismo não funciona mais, com vice-presidentes que não estão lá o tempo todo e só chegam ao fim do expediente, o que é normal afinal de contas possuem outras funções. Um tem empresa, outro é advogado, o próprio presidente que aparece cinco da tarde no fim do expediente dele. Eu pretendo ‘me mudar’ para o Botafogo, porque como minha vida está equacionada e meu negócio funciona posso tocar tudo dentro do clube. Quero ficar como a gente fala no jargão de 9 às 17h. O grupo que está comigo se juntou justamente por causa disso, são correntes diferentes tendo como principal ponto de união à profissionalização do clube – Avaliou.

Projetos financeiros

O Botafogo tem atualmente uma dívida que pode atingir a marca de R$ 1 bilhão. A dívida será paga pela S/A durante o período de gestão da empresa explorando o futebol. Durcesio cita como pretende gerar recursos para bancar o Botafogo social.

– Pode existir alguma parceria com a S/A. Acredito muito que algumas coisas podem ter parcerias, mas não sei se vai ser financeira com injeção de dinheiro. Saindo a S/A, o novo presidente terá que fazer uma mágica para gerir um clube que tem quatro sedes, general Severiano, Mourisco Mar, Sacopã e a dona Terezinha. Nilton Santos e CT serão administrados pela S/A. Vamos ter que pensar ‘fora da caixinha’ para trazer novas receitas para bancar isso. O novo presidente não vai ter mais esse dinheiro do futebol. Antigamente, se falava: vai cortar a luz da sede, o Botafogo futebol pagava isso já que era caixa único. Vamos ter que pagar a conta de luz senão vai cortar. Vamos ter que melhorar a sede. Os sócios precisam ser mais bem tratados. Inclusive, essa é a segunda prioridade na nossa campanha. Priorizar e tentar trazer mais sócios-proprietários. O Objetivo é que o sócio seja atraído a frequentar mais o clube, usar a piscina, sauna, os campos de futebol, basquete ou vôlei. Temos cerca de dois mil sócios, mil e duzentos adimplentes e menos de duzentos que frequentam o clube – Argumentou o candidato.

Os esportes olímpicos terão um papel de destaque no Botafogo social. O clube tem um projeto vitorioso no basquete, mas convive com salários atrasados e a incerteza da continuação da modalidade. No vôlei, o Botafogo desfez sua equipe, mesmo após a conquista de uma vaga na Superliga, maior competição no cenário nacional. Durcesio Mello diz que vai investir para o Botafogo ter outros esportes vitoriosos fora o futebol, mas ressalta que toda essa situação precisa ser avaliada.

– Primeiro temos que sentar e ver o que vai dar para fazer com todos os esportes. Eu gostaria muito de ter o vôlei e o basquete, que é um projeto vencedor. O Vôlei porque é um esporte de história no Botafogo, gerações que encantaram sendo onze vezes campeão carioca na época do Bebeto de Freitas e todos os jogadores que eu ia muito ver no ginásio da Hebraica, na Barata Ribeiro, ou no antigo Mourisco. Não tendo nada de dinheiro praticamente, tudo isso terá que ser 100% autossustentável. Inclusive, o remo, que é estatutário. O basquete tá muito bem encaminhado porque tem o projeto via Lei de Incentivo ao Esporte da TIM e uma verba da Ambev. Eles gostaram muito do retorno. O problema é que agora estamos com cinco meses de salários atrasados e fica complicado fazer um time que começa a ser montado em agosto. Teria que trazer um patrocínio pontual ou fazer um via Lei de Incentivo. Eu quero disputar títulos, mostrar a marca do Botafogo, mas não é só ter um time de ponta. Temos que ter as escolinhas e a base com o Sub-15, Sub-17 e Sub-20. No futebol é assim. O polo aquático deu muitas alegrias pra gente recentemente, onde fomos campeões. Estive uma vez em final de Campeonato Brasileiro, enfim… Talvez até retomar a natação que sempre foi um esporte forte no passado do Botafogo. Por isso eu falo muito no modelo de governança. No mundo empresarial não se consegue mais nada se não tiver um modelo dessa maneira. A gente vai batalhar. Tem quer ter as CND’s para captar patrocínio via Lei de Incentivo. Como o clube vai começar zerado em termo de despesas, tirando a folha é claro, a marca é muito forte. Só ver a TIM que está querendo renovar no basquete. É um projeto que eu quero fazer muito que é o esporte olímpico – Analisou.

Durcesio Mello mostrou projetos de campanha para as sedes do Botafogo.

– Tenho projetos independentes para o Mourisco Mar e a dona Terezinha, mas não dá para falar ainda porque não estão formatados. Para a Sede quero fazer um bar temático, churrasqueiras para os sócios, salão de sinuca, uma academia de ginástica terceirizada para gerar renda ao Botafogo e quem sabe fazer um salão de beleza. Estamos com o projeto de consultar os sócios em oito ou dez pontos que a gente quer fazer para saber o que seria bom e eles dariam valor. Além das melhorias na área da piscina e restaurante. Tem muita coisa para ser feita e gerar receita. Uma coisa que passa pela minha cabeça é transformar o campo em dois campos de grama, uma quadra de Tênis e uma de futsal coberta. Fazer também uma pista para caminhar e correr. Vamos consultar o sócio. O projeto está mais ou menos formatado e poderá ser alterado de acordo com que o sócio achar mais interessante e melhor pra ele. São eles que vão ajudar o Botafogo – contou.

Foto: Reprodução internet

Confira outros temas da entrevista

 Relação específica do presidente com a S/A

– A S/A vai assumir as dívidas do Botafogo. Ela será responsável em pagar o Ato Trabalhista, Profut e outras dívidas antigas que talvez seja o maior problema. São dívidas com pessoas físicas que emprestaram dinheiro, Odebrecht, várias empresas, bancos e empresários. A S/A vai alocar recursos em forma de royalties para pagar as dívidas do Botafogo. Por 30 anos vai ter uma relação. Eles vão ter obrigações com a marca, escudo, nossa camisa e várias coisas que não vão poder mudar. A marca Botafogo é muito forte. Vai ter uma ligação sim e nós vamos saber os números. Não diria que é íntima, mas próxima porque um vai estar sempre ligado ao outro.

Quem vai ocupar a ‘cadeira’ na S/A

– Segundo entendi essa participação ainda está sendo definida em detalhes. Faz parte da negociação final com o fundo ou os fundos que estão interessados em investir no Botafogo. Isso não tá ainda formatado, mas antes de assinar vai ser. Inclusive, vai ter que passar de novo para a aprovação de todos os sócios. Já passou pela assembleia, mas terá uma segunda rodada dizendo os valores que estão sendo vendidos e todos os detalhes. Nessa fase a gente vai saber qual vai ser a participação do presidente ou ligado ao grupo do presidente que for indicado por ele. Eu citei um conselho consultivo, mas tem um nome específico que eles falam porque tem um conselho mesmo que vai gerir o clube. Uma dessas cadeiras será quem o Botafogo indicar.

Base de apoio

– Várias correntes do Botafogo que estão com a gente. A “frente Alvinegra” liderada pelo Vinícius Assumpção e todo o grupo dele. Tem o próprio grupo com a Katinha, uma das maiores apoiadoras e trabalhadoras do grupo, dedicada, fantástica, tem todo um pessoal que tá com ela que é o Tiago (Alvim), Daniel Júnior, que é importantíssimo nesse processo da campanha, e na administração vai ser. Vários outros como Fred, Godinho, Tom Meireles e vários grupos e correntes que apoiam a gente. Mais de 20 sócios-proprietários que são do Espírito Santo, inclusive que levaram a pré-temporada para lá. Um grupo maravilhoso que sempre ajudou o Botafogo está comigo. Pra mim é a maior vitória. Ganhando ou não é conseguir unir correntes diferentes em torno de um nome, um projeto que passa pela profissionalização. No passado as correntes eram concorrentes e hoje estão junto com o nosso grupo.

Sócio-torcedor, Nilton Santos e Centro de Treinamento

– O sócio-torcedor ficará do lado da S/A. Nós não teremos ingerência em cima dessa verba. Não tem nada que a gente possa fazer em relação ao estádio e CT. Uma coisa que estamos batalhando na negociação, eu encampei essa briga, é o sócio-proprietário poder continuar frequentando o Nilton Santos nos jogos porque o sócio-proprietário não paga. Quero manter esse atrativo. Vai depender do fundo que entrar se vão aceitar isso. Tem entre 150 e 200 sócios no máximo que frequentam por jogo. Talvez não seja muita coisa para uma S/A absorver e deixar um número de ingressos por jogo em um setor tal. Talvez a presidência tenha um camarote, mas nem estou preocupado com isso. Posso ir para a arquibancada tranquilamente para ver o jogo.

Televisão

– A principal receita da S/A no começo é o contrato com a Globo. As transmissões do Carioca e Brasileiro são deles também. Tudo ligado ao futebol.

Mundo Digital, Redes sociais

– A gente vai entrar pesado nisso. Hoje todo mundo é digital e vive nas mídias sociais. Já tem esse trabalho sendo feito, mas nós queremos muito aumentar isso, até para gerar receita. Estamos formatando alguns modelos para atrair o sócio-torcedor para dentro do Botafogo Social. Vamos ver se conseguimos fazer uma parceria com a S/A. O cara que pague um pouco mais e tenha direito a frequentar o clube também. Essa diferença venha para o Botafogo clube. Isso já é o presente. Seremos bem agressivos nessa área.

Trazer para o clube ex-jogadores e projetos sociais

–  Quero valorizar de alguma maneira os ex-atletas, seja do futebol ou de outros esportes. Trazê-los para dentro do Botafogo para que possam transmitir de alguma maneira conhecimento e a experiência que possuem, seja via escolinha, projetos sociais, que é outro item que quero falar. Uma das cinco pontas da nossa estrela. Quero muito desenvolver para reforço de marca um projeto social. A gente deve isso à sociedade e como reforço de marca. Um projeto social que envolva crianças, alguma coisa com educação. Pensamos em um formato de instituto para tocar essa parte social. Trazer de volta os jogadores, o Feijão do Fogão. É um jeito deles se sentirem importantes. Tenho falado com vários deles, Carlos Roberto, André Silva, Jamir e Sérgio Manoel. Muitos deles estudaram e estão preparados para exercer algo relacionado ao esporte. A mesma coisa com um ex-atleta do vôlei, basquete para promover atividades sociais e também atividades do próprio clube. É um ponto muito importante que eu queria tocar.

Ligação com ilustres Botafoguenses

– Muitos desses ilustres estão no nosso grupo e sei que são apaixonados botafoguenses. Doaram dinheiro para o Botafogo durante muito tempo. Óbvio que esse modelo não pode se perpetuar porque não dá mais para ficar sobrevivendo à base de ‘Montenegros’ da vida que vão lá pagam uma folha e depois retomam. O clube não pode ser gerido dessa maneira. Eles podem ajudar os esportes olímpicos via Lei de Incentivo, já que muito possuem empresa que pagam impostos que podem ser direcionados ao esporte. Todos são importantes, mas eles particularmente porque sempre ajudaram muito o Botafogo seja financeiramente, com tempo ou coração.

A eleição no Botafogo está prevista para o mês de novembro de 2020.

Comentários
recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
03 de Julho de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Patrulha da Cidade
« Programa Anterior
14:00 - Show do Pedro Augusto
15:30 - Show do Heleno Rotay
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
13:00 - Cidinha Livre
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »