Esportes

Após acusar Vasco de preconceito, Hendrick pede desculpas em rede social

Em março, jogador disse que foi dispensado do Cruz-Maltino porque tinha tatuagem e morava na favela. O clube desmentiu

Foto: Reprodução Instagram

Após acusar o Vasco de preconceito ao ser dispensado, o atacante Hendrick pediu desculpas em rede social na última terça-feira. O jogador foi liberado do Cruz-Maltino em março, após período de testes na base do clube.

Hendrick publicou uma foto com a camisa do Vasco e se desculpou na legenda. No texto, ele diz que se arrependeu e que foi um momento de descontrole. Na ocasião, o atacante disse que o motivo de ter sido dispensado foi por ter tatuagem e ser morador de favela. O Cruz-Maltino negou a versão do atleta e afirmou que a decisão foi por questões disciplinares e técnicas.

“Se eu já me arrependi de alguma coisa? Já sim. Se eu pudesse, faria tudo de novo: ouviria mais os meus pais, escutaria conselhos de amigos e agradeceria mais a torcida, que por causa dela, meu nome alcançou um grande clube, e a mesma que torceu por mim e acabou se decepcionando, eu peço desculpas com todas as sinceridades do mundo. Agradeço a esse grande clube a ótima oportunidade me dada e que num momento de descontrole da minha parte, acabei generalizando o clube pelos meus erros… Sim, me arrependo. Devo ser mais humilde, e com essa humildade levantar novamente, surgir nos gramados como um novo homem, mais maduro e forte, decidido e com vontade imensa de mostrar que o passado nos trouxe lições e grandes ensinamentos. Deus não abandona quem Ele abençoou, irei até o fim!”, disse Hendrick em seu Instagram.

Hendrick se destacou na Copa São Paulo de Futebol Júnior com a camisa do Manthiqueira, de São Paulo. Após a competição, ele foi para o Vasco passar por um período de testes. No torneio, ele marcou quatro gols.

recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
12 de Julho de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Super Futebol Tupi
« Programa Anterior
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »