Botafogo

Confira a carta aberta de Felipe Neto destinada à torcida do Botafogo

Youtuber gerencia empresas que patrocinam o clube

Foto: Vitor Silva

Por Redação Tupi

Torcedor ferrenho do Botafogo e um dos patrocinadores do clube, o youtuber Felipe Neto divulgou no site Fogão Net, uma carta aberta destinada à torcida do Botafogo. No relato, Felipe se mostra completamente favorável a chegada de Eduardo Barroca como novo técnico do glorioso e exalta a força da torcida alvinegra.

Confira a carta aberta escrita por Felipe Neto:

Olá, torcedor alvinegro. Aqui quem escreve é Felipe Neto. Talvez você me conheça pelos meus acertos, como os patrocínios ao clube, minhas empresas e o canal no YouTube que te irrita quando seu filho não para de assistir a um vídeo atrás do outro; ou talvez você me conheça pelos meus erros, como um ou outro vídeo equivocado, alguma opinião política que você discorde, ou o Rodrigo Aguirre. Contudo, uma coisa você provavelmente sabe: o meu amor pelo Botafogo é infinito, assim como o seu. Ele está na minha pele, na minha história, nos livros que escrevo para jovens, nos vídeos que faço, nas publicações, nos eventos, nas tentativas de levar crianças e adolescentes a se apaixonarem pela nossa Estrela Solitária. Essa é uma missão de vida que continuarei levando enquanto existir ar em meus pulmões.

Hoje escrevo abertamente a vocês para fazer um pedido, que vou revelar ao final deste texto.

No dia 2 de março de 2016, a diretoria alvinegra anunciou um jovem chamado Eduardo Barroca como técnico do time sub-20 do Botafogo. Até então, embora nosso Glorioso sempre tenha o peso da camisa, estávamos devendo (e muito) nas categorias de base. A chegada daquele jovem treinador, contudo, daria início a um dos períodos mais vencedores da história da base do nosso Fogão, que infelizmente passou despercebido pela grande torcida.

Naquele ano, Barroca levou o Botafogo ao título da Taça Guanabara, à final da Taça Rio, ao título carioca, à final da Copa RS (perdemos nos pênaltis) e ao inédito e incrível título do Campeonato Brasileiro Sub-20, superando o Corinthians na final. Naquele ano, o time tinha Marcinho, Marcelo Benevenuto, Gustavo Bochecha, Helerson, Wenderson, Fernando, Igor Cássio, Rickson e Wenderson. Todos hoje no elenco profissional do clube, todos já treinados por Eduardo, que ainda veio a trabalhar com o Jonathan e o nosso zagueiro Gabriel, esse na seleção brasileira.

Barroca ficou no Botafogo até maio de 2018, quando saiu para treinar a base do Corinthians após receber proposta irrecusável. Ainda assim, saiu querendo ficar. Durante o tempo em que treinou o sub-20 alvinegro, disputou 13 campeonatos e levou o Botafogo a 7 (SETE!!!) finais. Venceu 4 títulos, incluindo a OPG em 2017. Após sua saída, infelizmente o sub-20 do Botafogo ainda não reencontrou o caminho das finais.

Após sair, Barroca reformulou a base do Corinthians e agora a própria torcida corintiana lamenta sua saída. Pela base do Corinthians, foram 50 partidas e apenas 5 derrotas, atingindo 32 vitórias. Saiu porque o contrato assim permitia caso recebesse proposta de dirigir um clube profissional.

Tive a oportunidade de conversar a fundo com nosso novo treinador. E o que pude ver é mais que motivação, é paixão. O que Barroca falta em experiência dirigindo times profissionais ele SOBRA em entendimento tático e compreensão do futebol. Sua visão de jogo é diferenciada e acredito que veremos isso já no início do trabalho. Ele prioriza a posse de bola, o controle do jogo, a utilização de jovens, joga propondo ao invés de jogar como time amedrontado o tempo inteiro. O Fogão Net montou um compilado de lances incríveis do Botafogo treinado por ele.

(Só um parêntese, o trabalho do Barroca na base foi tão extraordinário, que o Renan Gorne fez mais gols que o Pedro, do Fluminense)

Mas eu não estou aqui para garantir que irá funcionar e o Barroca levará o Botafogo para a glória.

No mundo do futebol, nada é garantido. Poderíamos contratar um técnico medalhão, pagar um valor que não temos e vermos o time ser rebaixado para a série B. Técnico experiente não é mais sinônimo de vitórias. O futebol vem mudando drasticamente nos últimos anos. Na temporada 2017/18, absolutamente nenhum time europeu que foi campeão nacional ou continental teve técnico medalhão. O técnico campeão mais experiente da Europa foi o Guardiola, com ridículos 10 anos de experiência. A maioria tinha menos de 5 anos praticando a profissão e vários deles tinham vindo da base de seus clubes.

O futebol mudou. A ideia do técnico medalhão vem sendo extinta em diversos países. Aqui no Brasil ela ainda persiste porque os dirigentes são tão ultrapassados quanto os técnicos que contratam. E amam demitir técnico por qualquer motivo. Basta ver como estava o G4 do Campeonato Brasileiro ano passado até a metade. Os técnicos de 4 dos 5 primeiros times eram: Maurício Barbieri (Flamengo – iniciante), Roger (Palmeiras – médio iniciante), Thiago Larghi (Atlético-MG – da base) e Odair Hellmann (Internacional – da base). TODOS eles novatos. Comemorei muito quando Flamengo e Atlético-MG demitiram Barbieri e Larghi, porque foram decisões tão estúpidas que mereceram comemoração. O Larghi foi demitido com o time no G4 e melhor ataque da competição.

E o que dizer do Tiago Nunes? O Athletico-PR estava na lanterna do campeonato na paralisação para a Copa do Mundo. Foi quando a diretoria colocou o treinador da base. O time foi campeão da Copa Sul-Americana, se classificou para a Libertadores e hoje vem jogando o melhor futebol em organização tática do Brasil.

A chance ao Barroca vem tardiamente. Ele já deveria ter assumido o clube no início de 2018, quando todos sabiam que ele era o homem mais preparado para o cargo. Infelizmente erros aconteceram, mas agora veio a hora de dar a chance que ele merece. Nós confiamos no Tigrão e não deu certo, mas nós confiamos no Jair Ventura e deu certo (sim, cagou no final, mas pegue o retrospecto). Nós também confiamos no Valentim e deu certo (título carioca). Agora é hora de confiarmos naquele que melhor se preparou dentre todos esses e mais resultados conquistou até agora. É hora de confiarmos no Barroca.

E este é meu único pedido para a torcida. Que mesmo que desconfie, mesmo que sinta ódio, mesmo que ache que apenas técnicos medalhões podem “salvar times”, mesmo assim eu peço: Vamos confiar. Vamos acreditar. Vamos torcer. Vamos dar o mínimo de crédito e confiança ao homem que nos deu os maiores títulos da nossa base, ao cara que fez os jovens do Botafogo voltarem ao protagonismo do futebol brasileiro. Um técnico novo precisa do mínimo de tempo para aplicar seu método de treinos e seu esquema de jogo. Ele já vai ter um desafio grande demais, desde salários atrasados até um elenco limitado em peças, então tudo o que podemos fazer é tentar empurrá-lo para cima, ao invés de puxarmos para baixo.

O Botafogo é a sua torcida. E nessa torcida é onde eu me encaixo. Não sou diretoria, não faço parte da gestão, não ganho nada pessoalmente com o clube. Sou um torcedor como cada um de vocês. E tudo o que eu peço é isso: vamos torcer. Porque eu acredito nessa Estrela Solitária. Eu acredito que podemos dar a volta por cima.

E quando você pensar em desistir, lembre-se daquilo que nós gritamos, juntos, em todos os jogos:

Vamo, vamo, vamo, Botafogo;

Clube que é mais tradicional;
Quero te ver campeão de novo;
VOU TE APOIAR ATÉ O FINAL!”

enquete

Você acha futebol chato ou emocionante?

Carregando ... Carregando ...

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
20 de Outubro de 2019 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Baú da Tupi
« Programa Anterior
15:00 - Super Futebol Tupi
08:00 - Show do Heleno Rotay
22:00 - Giro Esportivo
04:00 - Domingo Show
12:00 - Bola em Jogo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »