Brasil

Em novas mensagens, Dallagnol revela que desembargador do TRF-4 achava provas contra doleiro ‘fracas’

O procurador Deltan mostrou preocupação com a possibilidade de absolvição de Adir Assad antes de delação

Por Redação Tupi

A revista “Veja” em parceria com o site “The Intercept” divulgou mais trechos de conversas entre membros da força-tarefa da Lava-Jato. Nas mensagens, o procurador Deltan Dallagnol disse aos seus colegas que o desembargador João Pedro Gebran Neto, achava fracas as provas contra o doleiro Adir Assad durante o julgamento de um processo em 2017. Ainda nas mensagens, o relator dos processos da operação na segunda instância pede para outro procurador sondar se Gebran tinha intenção de inocentar o réu.

Na época, o Ministério Público Federal negociava a delação premiada de Assad e uma eventual absolvição do doleiro pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região poderia afetar a operação. O doleiro, que já tinha sido condenado na primeira instância, acabou tendo a sentença confirmada pelo TRF-4 por 3 votos a 0.

“O Gebran tá fazendo o voto e acha provas de autoria fracas em relação ao Assad”, afirma Deltan.

Em conversa no dia 5 de junho de 2017, o procurador Carlos Augusto da Silva Cazarré, Deltan relata que teve dois “encontros fortuitos” com o desembargador do TRF-4 e volta a citar a preocupação com as provas.

“Falei com ele umas duas vezes, em encontros fortuitos, e ele mostrou preocupação em relação à prova de autoria sobre Assad”, escreveu o procurador. Deltan pede para o colega “sondar se absolverão Assad”:

“Se for esse o caso, talvez fosse melhor pedir para agilizar o acordo ao máximo para garantir a manutenção da condenação”, diz Deltan.

Já Dallagnol não quis comentar a liberação das novas mensagens feitas pela revista “Veja”. Sobre os vazamentos, o MPF afirma que os procuradores têm sido vítima de crime.

“As supostas mensagens atribuídas a integrantes da força-tarefa são oriundas de crime cibernético e não puderam ter seu contexto e veracidade verificados. Diversas dessas supostas mensagens têm sido usadas, editadas ou descontextualizadas, para embasar falsas acusações que contrastam com a realidade dos fatos.”

Gebran respondeu às questões enviadas pela revista: “Em relação ao réu Adir Assad (ou qualquer outro réu), trata-se de questão processual e que somente autoriza manifestação nos autos, pelo que nunca externei opinião ou antecipei minha convicção sobre qualquer processo em julgamento.”

 

Comentários
recomendadas

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
25 de Fevereiro de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Na Companhia Do Garcia
« Programa Anterior
04:00 - Show do Mário Belisário
06:00 - Show do Antônio Carlos
08:00 - Show do Clóvis Monteiro
10:00 - Programa Isabele Benito
11:00 - Programa Francisco Barbosa
12:00 - Patrulha da Cidade
14:00 - Show do Pedro Augusto
15:30 - Show do Heleno Rotay
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
12:00 - Patrulha da Cidade
13:00 - Cidinha Livre
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »