Política

Inquéritos com dados do Coaf são suspensos por Toffoli, a pedido de Flávio Bolsonaro

Com a decisão, são interrompidas as investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro que tinham como alvos o senador e o seu ex-assessor Fabrício Queiroz

Por Redação Tupi

Com a decisão, são interrompidas as investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro que tinham como alvos o senador e o seu ex-assessor Fabrício Queiroz
(Foto: Reprodução)

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, atendeu a um pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL), e suspendeu de todas as instâncias jurídicas do país, os inquéritos baseados em dados sigilosos e detalhados compartilhados pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e pela Receita Federal, sem a prévia autorização da Justiça. A decisão foi tomada na última segunda-feira, porém divulgada nesta terça-feira.

Com a decisão, são interrompidas as investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), ligadas a Operação Furnas da Onça, que tinham como alvos o senador e o seu ex-assessor Fabrício Queiroz, que tiveram início a partir do compartilhamento de informações do Coaf. A autorização da Justiça fluminense para a quebra do sigilo bancário só veio depois.

De acordo com a defesa de Flávio, em declaração dada ao jornal Folha de São Paulo: “O MPRJ utilizou-se do Coaf para criar ‘atalho’ e se furtar ao controle do Poder Judiciário. Sem autorização do Judiciário, foi realizada devassa, de mais de uma década, nas movimentações bancárias e financeiras do requerente (Flávio Bolsonaro) em flagrante burla às regras constitucionais garantidoras do sigilo bancário e fiscal”.

No despacho da medida, Toffoli escreveu: “Considerando que o Ministério Público vem promovendo procedimentos de investigação criminal (PIC), sem supervisão judicial, o que é de todo temerário do ponto de vista das garantias constitucionais que assistem a qualquer indiciado ou a qualquer pessoa sob investigação do Estado, revela-se prudente ainda suspender esses procedimentos que tramitam no território nacional e versem sobre o mesmo tema, de modo a evitar eventual usurpação de competência do Poder Judiciário”.

Ainda segundo o texto da decisão: “Deve ficar consignado, contudo, que essa decisão não atinge as ações penais e/ou procedimentos investigativos (Inquéritos ou PIC’s), nos quais os dados compartilhados pelos órgãos administrativos de fiscalização e controle, que foram além da identificação dos titulares das operações bancárias e dos montantes globais, ocorreram com a devida supervisão do Poder Judiciário e com a sua prévia autorização”.

Com isso, todos os processos que discutem provas obtidas pelo Fisco e pelo Coaf, sem a autorização judicial, deverão aguardar o veredito definitivo do STF. O debate sobre o tema está previsto para ser realizado no plenário da Corte em 21 de novembro deste ano.

recomendadas
Comentários

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
17 de Janeiro de 2020 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Show do Pedro Augusto
« Programa Anterior
15:30 - Show do Heleno Rotay
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »