Conecte-se conosco

Baixada Fluminense

Família de gestante denuncia violência obstétrica em hospital da Baixada

Mãe de 21 anos e uma recém-nascida morreram após o parto

Publicado

em

Gestante que morreu em hospital da Baixada
(Foto: Reprodução)
Gestante que morreu em hospital da Baixada

(Foto: Reprodução)

A família da jovem Diana dos Santos, de 21 anos, denuncia violência obstétrica no parto da pequena Isabela, no hospital da mãe de Mesquita. No dia nove de dezembro do ano passado, Diana procurou a unidade hospitalar, após o rompimento da bolsa, mas foi orientada a voltar para casa.

No dia seguinte ela retornou ao hospital e mais uma vez, ouviu da equipe médica que teria que comparecer a unidade somente dois dias depois. Como se não bastasse a via crucis da jovem, o feto evacuou no ventre da mãe. Os médicos chamam esse episódio de mecônio.

A bebê morreu 10 minutos depois do parto, que durou cerca de sete horas. Já a mãe, morreu quatro dias depois de ficar internada. Desde então a família espera que alguma providência seja tomada. O avô da pequena Isabela, Marcos Oliveira, cobra justiça.

“O que eu espero a partir de agora é o seguinte: Justiça. Eu sei que dinheiro no mundo não vai pagar o que aconteceu com a minha filha, o que aconteceu com a minha neta. Mas eu espero que isso não aconteça com mais ninguém. Eu quero saber do poder público, da justiça, se isso é normal da medicina de forçar parto normal. Quando nós fomos pegar o corpo da minha neta num freezer lá do hospital tinham vários outros corpos e todo mundo reclamando que eles forçam e forçam até as últimas, igual aconteceu com a minha filha e com a minha neta. Espero que isso não aconteça com mais ninguém, porque isso é uma covardia. Foi o que eu falei pro pessoal do hospital, é uma covardia o que eles fazem lá dentro,” destacou Marcos.

O hospital da mulher de Mesquita ainda não se pronunciou sobre o caso.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.