Conecte-se conosco

Justiça

Cremerj suspende provisoriamente registro do anestesista preso por estupro

Com a decisão, Giovanni Quintella Bezerra fica impedido de exercer a prática da medicina

Publicado

em

Giovani Quintella Bezerra
Giovanni Quintella Bezerra (Foto: Reprodução/Facebook)

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) decidiu, nesta terça-feira (12), suspender provisoriamente o anestesista Giovanni Quintella Bezerra. O médico foi preso em flagrante na madrugada da última segunda-feira (11), após ser filmado estuprando uma paciente em trabalho de parto no Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

Com esta decisão, Giovanni fica impedido de exercer a medicina em todo o território fluminense. A medida, segundo o Cremerj, “é um recurso para proteger a população e garantir a boa prática médica”. Ainda de acordo com o órgão, um processo ético-profissional também está sendo instaurado e este pode levar à cassação definitiva do registro.

“Firmamos um compromisso com a sociedade de celeridade no que fosse possível e essa suspensão provisória é uma resposta. A situação é estarrecedora. Em mais de 40 anos de profissão, não vi nada parecido. E o nosso comprometimento não acaba aqui. Temos outras etapas pela frente e também vamos agir com a celeridade que o caso exige”, afirmou Clovis Munhoz, presidente do Cremerj.

Giovanni Quintella Bezerra está detido em uma cela especial do presídio de Bangu 8, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. Ele foi indiciado e vai responder pelo crime de estupro de vulnerável, cuja pena varia de 8 a 15 anos de reclusão.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.