Conecte-se conosco

Baixada Fluminense

Hospital Adão Pereira Nunes abre sindicância para investigar denúncia após morte de menino de 14 anos

Geovani do Nascimento Vajealegre morreu na última segunda-feira (3) com um quadro de penumonia após sofrer um derrame nos dois pulmões

Publicado

em

Geovani do Nascimento Vajealegre
Geovani do Nascimento morreu na última segunda-feira (3) com um quadro de penumonia após sofrer um derrame nos dois pulmões (Foto: Reprodução)

O Hospital Municipal Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, abriu uma sindicância para apurar a denúncia da família de Geovani do Nascimento Vajealegre, de 14 anos, que morreu na última segunda-feira (3), dois dias depois de ter dado entrada na unidade sentindo dores na perna.

Segundo a família, Geovani teria recebido uma injeção contraindicada para menores de 15 anos, provocando uma forte reação alérgica que teria levado à morte do menino.

“Antes de fazerem o Raio-X, eles já aplicaram a injeção no Geovani. Depois de algum tempo, outro médico voltou para finalizar o atendimento, já com o resultado do exame, aí ele prescreveu outra injeção Beta30 para a gente dar nele em casa ou na farmácia, uma injeção que não poderia ser dada em crianças menores de 15 anos”, alegou Roberta do Nascimento, tia de Geovani.

Geovani teria sofrido uma forte reação alérgica após o atendimento no Hospital Municipal Adão Pereira Nunes (Foto: Reprodução)

Hospital nega versão da família

Por meio de nota, o Hospital Adão Pereira Nunes negou a versão da família sobre a aplicação da injeção e alegou que Geovani teria recebido apenas uma medicação via oral, após o exame de Raio-X.

” A direção esclarece ainda que a medicação indicada foi administrada no paciente por via oral, e não venosa (injeção), conforme está registrado no BAM – Boletim de Atendimento Médico e no relatório de dispensação da Farmácia do Hospital Municipal Adão Pereira Nunes.” (Leia nota completa ao fim da matéria)

Geovani morreu na segunda-feira (3) com um quadro de pneumonia, após um derrame pleural nos dois pulmões, segundo atestou um laudo preliminar do Instituto Médico Legal.

A previsão é que um segundo laudo complementar seja concluído na semana que vem.

A família acusa o Hospital Municipal Adão Pereira Nunes por negligência médica. O caso foi registrado na 54ª DP (Belford Roxo).

Família e amigos realizam protesto e pedem justiça por Geovani do Nascimento (Foto: Reprodução)

Nota do hospital

“A Prefeitura de Duque de Caxias, através da Secretaria Municipal de Saúde, informa que Gevani do Nascimento Vajealegre, 14 anos (nome que consta no registro do atendimento) deu entrada no setor de Pronto Atendimento do Hospital Municipalizado Adão Pereira Nunes (HMAPN), por meios próprios no último sábado, 01/10/2022, às 23h18.

A direção da unidade informa que o paciente foi atendido pela ortopedia, sendo solicitado exame de Raio X da coxa com indicação de medicação para dor.

A direção esclarece ainda que a medicação indicada foi administrada no paciente por via oral, e não venosa (injeção), conforme está registrado no BAM – Boletim de Atendimento Médico e no relatório de dispensação da Farmácia do HMAPN.

Relata ainda que foi aberta uma sindicância interna para apuração dos fatos e esclarece que qualquer documento relacionado a atendimento de paciente deve ser solicitado junto ao setor de Documentação Médica da unidade ou por via jurídica.

Por fim, a direção do Hospital Municipalizado Adão Pereira Nunes manifesta sua solidariedade à família e se coloca a disposição para mais esclarecimentos.”

Continue lendo
2 comentários

2 Comments

  1. Lívia Pereira

    7 de outubro de 2022 em 14:01

    Que seja feita justiça. Essa perda é irreparável. Que, ao menos , os culpados sejam punidos .

  2. luis

    7 de outubro de 2022 em 14:48

    esperando a cidinha falar do caso do geovane

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.