Conecte-se conosco

Região Metropolitana

Programa de fisioterapia e dança gratuita faz sucesso em São Gonçalo: ‘É muito gratificante ver pessoas chegando com a autoestima baixa e saírem daqui felizes’

Alunos comemoram menos dores e mais saúde em projetos criados para oferecer qualidade de vida. Saiba como participar das atividades disponibilizadas

Publicado

em

Programa de dança São Gonçalo
(Foto: Divulgação)

Dores diárias e pressão alta são problemas bem conhecidos pelos idosos. Mas há alguns meses a população acima de 40 anos tem a oportunidade de fazer atividades físicas e fisioterapia gratuitamente, em 165 polos espalhados no estado, uma iniciativa do Governo do Rio de Janeiro para proporcionar uma vida mais ativa e saudável e ainda diminuir os riscos de morte causados por acidentes domésticos. Voltado à qualidade de vida, o projeto conta com fisioterapeutas e profissionais de educação física que atuam em conjunto na reabilitação dos alunos e pacientes. Os participantes também têm a pressão aferida diariamente por técnicos de enfermagem, a fim de garantir que os alunos estejam aptos a realizar as aulas.

Os relatos dos alunos do programa são semelhantes: dias com menos dores, mais disposição e socialização. A professora de educação física Tânia Regina Brasil Moreira, de 46 anos, dá aula de zumba no polo de São Gonçalo, na Região Metropolitana, e conta que são cada vez menores os casos de depressão e de pressão alta. Ela está no programa desde junho, quando as atividades chegaram no Alcântara:

– Aqui temos muitos casos de hipertensão, depressão, e os relatos que ouvimos é de que não há mais choro e falta de sono. É muito gratificante ver pessoas chegando com a autoestima baixa e saírem daqui felizes, chegando praticamente sem andar, e, com sessões de fisioterapia e educação física, saíram daqui dançando. Dança é para todo mundo, não tem idade, é uma área lúdica, e isso modifica uma vida – disse a professora.

As maiores queixas dos idosos são o enfraquecimento dos músculos, perda de equilíbrio, de agilidade, flexibilidade e de resistência muscular. Dados apontam que as quedas são a terceira causa de mortalidade entre as pessoas com mais de 65 anos no Brasil, chegando à marca de 70%. A fisioterapeuta Renata Marques da Silva, de 34 anos, que atende o programa, explica que as aulas de pilates e as sessões de fisioterapia individual melhoram as atividades diárias dos idosos, além de dar mais autonomia e prepará-los para as atividades físicas do projeto:

– A fisioterapia é utilizada para amenizar dores e recuperar movimentos, uma ferramenta que também promove o fortalecimento muscular, proporcionando a prática de atividades físicas. Temos as terapias em grupo, o pilates, e as terapias individuais atendendo as demandas específicas – esclarece.

Praticante de zumba, a aposentada Vera Lúcia da Costa Ribeiro relata que as aulas reduziram suas dores nos joelhos. Hoje, aos 75 anos, comemora a disposição:

– Isso aqui é tudo para mim porque meu corpo vive disso. Tinha um problema no joelho e graças a Deus, hoje, faço zumba, faço tudo que mandarem. Sou uma menina de 75 anos – contou.

História semelhante é da Maria da Conceição Eufrázia, 78 anos, aposentada. Dificuldade de manter hábitos rotineiros e dores a levaram para a terapia e hoje dona Maria diz que sua vida mudou drasticamente:

– Eu tenho muitos problemas nas articulações, coluna, ombro e já melhorei muito com a fisioterapia. Abaixar, andar, sentar e levantar era difícil. Em dois meses já melhorei. Quero ir para minha igreja com mais facilidade, visitar meu filho. Tenho esperança de melhorar ainda mais – destacou, esperançosa.

A saúde mental dos frequentadores também recebe atenção especial por parte da equipe. A professora de Natação Julia Cristina Perez do Souto, de 27 anos, fala como as aulas influenciam na autoestima dos idosos, além da socialização que os encontros possibilitam:

– O que mais ouço é gente falando que sonhava em aprender a nadar e é muito legal ver a felicidade deles. Aqui também é um local de encontro: promovemos encontros através de café da manhã, rodas de conversa. Eles precisam disso também. O projeto se tornou muito importante em minha vida profissional porque me permitiu fazer parte da vida das pessoas – ressaltou.

As atividades oferecidas no polo de São Gonçalo são zumba, ginástica, natação, hidroginástica, fisioterapia individual e cinesioterapia. Para se inscrever basta comparecer na sede do programa para fazer a inscrição, na Rua Norberto de Matos, 200, Igreja Cei do Barracão, em São Gonçalo. Para informações sobre inscrições em outros polos: (21) 2333-9333 (Tânia Melo).

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.