Conecte-se conosco

Brasil

Superação: Grávida soterrada na tragédia de Petrópolis dá a luz ao primeiro filho

Na época. ela estava grávida de três meses

Publicado

em

A maior tragédia da história da cidade de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, completou sete meses. Nas áreas atingidas, como o Morro da Oficina e Chácara Flora, os entulhos gerados pelos deslizamentos se amontoavam deixando à mostra os objetos e as memórias perdidas pelas famílias.

Na localidade de Caxambu estava a casa de Maria Regina Gomes Alvim que desmoronou. Ela foi arrastada pela terra, ficou soterrada e foi salva pela vizinha depois de quase uma hora.

“Eu escutei um barulho de vento muito forte, estava sentada na cama e quando eu levantei tudo desmoronou, eu fui arrastada e fui parar na casa da frente o meu rosto ficou pra fora e eu gritei por socorro.” Relembrou Maria.

Foto: Maria Regina Gomes (arquivo pessoal)

Maria Regina ficou internada por quase um mês no Hospital da Beneficência Portuguesa em Petrópolis, foram nove cirurgias para se recuperar dos ferimentos causados durante a chuva.

Ela estava grávida de três meses. Por outro lado, em meio a lembranças de um tempo difícil no fim de agosto a família vibrou com o nascimento de Felipe Miguel trazendo muita alegria para a família superar os momentos vividos no dia 15 de fevereiro.

“Nisso tudo eu fiquei muito preocupada com o bebê, eu não sabia como o bebê estava e fiz uma ultrassom e graças a Deus na ultrassom mostrou que o bebê estava bem, que era um bebê saudável.” Disse.

A resposta do exame trouxe alívio e tranquilidade a mamãe: “Eu fiquei mais tranqüila, mas sabia que iria ter que passar por outras cirurgias, porque minha maior preocupação era como eu iria cuidar do bebê, saber se iria ficar tudo bem com ele durante esse período. Toda a equipe do SMH (Hospital da Beneficência Portuguesa) me acolheu com muito carinho e sou muito grata a eles.” Falou.

A forte chuva que atingiu o município provocou enchentes, uma série de deslizamentos de terra e mais de 240 mortes. Duas vítimas ainda estão desaparecidas.

Hoje nós estamos bem e eu estou muito feliz porque o nenenzinho chegou com muita saúde e muito grandão.” Finalizou

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.