Conecte-se conosco

Últimas Notícias

Ação social é realizada para mães de deficientes no Espaço Rosa, em São Gonçalo

Iniciativa é uma parceria entre as secretarias de Saúde e Assistência Social com o projeto TEAcolher Mães

Publicado

em

Imagem: Divulgação

Cerca de 30 mães de crianças com deficiências receberam atendimento de saúde com consultas médicas e realização de exames na manhã deste sábado (1º), no Espaço Rosa, em São Gonçalo. A iniciativa é uma parceria entre as secretarias de Saúde e Defesa Civil e de Assistência Social da Prefeitura de São Gonçalo, com apoio do projeto social TEAcolher Mães.

Enquanto as crianças participavam de atividades lúdicas e sensoriais na área externa da unidade, as mães eram atendidas na sala de espera para a atualização cadastral e verificação de documentos. Além disso, também recebiam orientação da assistente social, psicóloga e a responsável técnica de radiologia sobre a importância do autocuidado, autoexame e a realização dos exames de rotina.Exame preventivo de câncer de colo do útero e testes rápidos de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) foram disponibilizados. Durante a ação, as mães tiveram acesso também a serviços como aferição de sinais vitais e pesagem.

“As crianças já são acompanhadas pelo serviço da Sala Azul. Mas, para essa ação, disponibilizamos horários com médicos voluntários. Todos os profissionais que estão aqui hoje são voluntários para realizar os atendimentos das mães. O objetivo é realizar a inclusão dessas mães de crianças com deficiência, que não têm com quem deixá-las para virem à unidade”, afirmou a coordenadora do Espaço Rosa, Marcela Brasil.

Roberta Maia, fundadora do projeto social TEAcolher Mães e coordenadora social dos espaços Azul e Inclusão, também esteve junto nessa parceria com as secretarias do município.

“O Projeto TEAcolher Mães nasceu há um ano. Nasceu junto com o diagnóstico do meu filho, Miguel. Levei a proposta de um acolhimento materno para a Prefeitura e o Capitão Nelson aceitou esse projeto. O foco é acolher as mães, buscar dar um pouco mais de apoio, oferecer acolhimento psicológico, em saúde e educação. E, agora, também com os espaços Azul e Inclusão, atendemos toda a demanda das pessoas com deficiência, fazendo orientação, dando acolhimento, direcionamento sobre documentação, benefícios, além de oferecer palestras e rodas de conversas”, disse Roberta.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.