Capital Fluminense

Alexandre Knoploch é inocentado pela Justiça por tiro contra advogado

Caso aconteceu no mês de julho do ano passado em Brasília

Por Marcelo Silva

Alexandre Knoploch é inocentado pela Justiça por tiro contra advogado
(Alexandre Knoploch é inocentado pela Justiça por tiro contra advogado/ Reprodução Alerj)

O deputado estadual, Alexandre Knoploch líder do governo Claudio Castro na Alerj, foi inocentado da acusação de agredir um homem em Brasília, em julho de 2020. A Polícia Civil e o Ministério Público do Distrito Federal concluíram que o parlamentar agiu em legítima defesa ao atirar no pé de um advogado que o agrediu pelas costas.

A suposta vítima, Helvídio Nunes de Barros Neto agrediu Knoploch com um sono, no interior de um restaurante na Capital Federal. A Justiça aceitou os argumentos da defesa do deputado, que alegou que o parlamentar agiu nos “limites autorizados pelo artigo 25 do Código Penal”.

O inquérito concluiu que o tiro foi dado em região não letal do agressor. Com a inocência comprovada de Alexandre Knoploch, o processo foi arquivado pela 4ª Vara Criminal de Brasília. O caso já foi transitado em julgado.

“A agressão feita por Helvídio era inegavelmente injusta e pelas costas, da qual a vítima revidou pelo meio que dispunha”, afirmam os investigadores.

Knoploch usou a arma de forma moderada somente para afastar o perigo, diz o inquérito

O MP entendeu que o agressor, Helvídio, tinha que continuar respondendo à agressão. Para não continuar respondendo, porém, ele fez um acordo com o Ministério Público. Pagará 300 reais, divididos em parcelas sendo 50 reais por mês, para não ser processado, revelou Alexandre Knoploch.



recomendadas
Comentários

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
26 de Janeiro de 2022 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Patrulha da Cidade
« Programa Anterior
15:00 - Show do Heleno Rotay
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
13:00 - Cidinha Livre
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »