Últimas Notícias

Comissão de Transportes quer criar Força Tarefa para Fiscalizar a higienização dos ônibus

Rodoviários denunciam passageiros sem máscaras e falta de higienização nos coletivos

Por Marcos Antonio de Jesus

(Foto: Reprodução)

A possibilidade de uma segunda onda do Covid-19 vem assustando os profissionais do transporte público, principalmente os motoristas e cobradores de ônibus, que diariamente transportam milhares de pessoas. Eles denunciam que parte dos usuários insiste em viajar nos coletivos sem o uso de máscaras e que os veículos não estão sendo higienizados conforme lei estadual vigente, o que aumenta a possibilidade de contaminação.

Diante disso, o deputado Dionísio Lins (Progressista), presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa e autor da lei nº 8801, de maio deste ano, que obriga todas as concessionárias de transportes públicos a realizar diariamente a desinfecção e limpeza de seus veículos para a contenção e disseminação do Coronavírus entre os usuários, vai pedir ao Ministério Público e a secretaria municipal de Transportes, a criação de uma força tarefa para fiscalizar as garagens e pontos finais das empresas de ônibus, inclusive BRTs.

Ele também vai encaminhar ofício ao Rio Ônibus e aos Consórcios, pedindo que seja encaminhado para a comissão a relação das empresas cadastradas que estão realizando o serviço, a cópia do contrato, se os produtos utilizados são os indicados para a higienização e a planilha de controle com informações sobre a higienização dos veículos de cada empresa.

“Estamos diante de uma situação quase sem controle. Para se ter uma ideia, temos hoje mais de 400 mil casos de Covid-19 na cidade com aproximadamente 25 mil óbitos e, com certeza, o transporte público inadequado e sem uma fiscalização rígida contribui para o aumento da transmissão. É importante que tenhamos uma maior atenção com o setor principalmente com os ônibus, que são muito utilizados pela população. Essa denúncia vinda do sindicato da categoria é no mínimo preocupante. É preciso que haja uma fiscalização mais rigorosa dos órgãos públicos no que diz respeito à higienização da frota e do uso de máscaras pelos usuários. A categoria já registrou 141 casos de Covid-19 com 39 óbitos, nas 37 empresas de ônibus que circulam na cidade”, disse Dionísio.

A lei determina que as empresas que não cumprirem os procedimentos exigidos, estarão sujeitas à advertência e multas de R$ 1.775,00 (na primeira reincidência), R$ 3.550,00 (na segunda reincidência) e R$ 17.750,00 (a partir da terceira reincidência). Além disso, elas também poderão ter suas concessões suspensas ou até cassadas.



recomendadas
Comentários

AO VIVO
OUÇA AO VIVO
VOLTAR AO SITE
17 de Janeiro de 2022 - 96.5 FM
OUÇA AQUI
Show do Heleno Rotay
« Programa Anterior
17:00 - Show do Apolinho
19:00 - Radar Tupi
20:00 - Programa Cristiano Santos
21:00 - Tupi na Rede
22:00 - Giro Esportivo
Próximo Programa »
  • Transmissão em Vídeo
Acompanhe também »