Conecte-se conosco

Rio

Escritora Roseana Murray realiza Sarau de Poesia no Hospital Alberto Torres

A escritora leu alguns dos seus poemas antigos e novos, como O Braço Mágico, cujo livro será lançado nos próximos dias.

Publicado

em

Roseana Murray no HEAT. Foto: Divulgação/Governo do Rio

Conforme prometido ainda no leito do CTI, a escritora Roseana Murray, de 73 anos, realizou na manhã desta quarta-feira (12), um Sarau de Poesia na área de convivência do Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), onde ficou internada por treze dias após ser atacada por três pitbulls, em Saquarema, em abril deste ano.

Com uma caneta dourada, a escritora e poetisa autografou, com a mão esquerda, 300 livros para médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem, maqueiros, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, fisioterapeutas, pessoal administrativos e profissionais da limpeza e higienização.

– É um orgulho muito grande retornar a este hospital que salvou a minha vida. Aqui, além do atendimento de alta complexidade, também recebi e recebo ainda muito carinho de todos os funcionários, Este sarau é uma forma poética de dizer “muito obrigado” sempre – declarou Roseana para uma plateia de funcionários do Heat, crianças internadas e acompanhantes.

A escritora leu alguns dos seus poemas antigos e novos, como O Braço Mágico, cujo livro será lançado nos próximos dias. A obra surgiu quando Roseana, ainda no hospital, sentiu a necessidade de transformar o braço que perdeu em um ato poético.

“É uma história de cumplicidade e magia entre a avó poeta e seus netos que, ao saberem da tragédia, só queriam ter certeza de que ela estava viva. Somente ao vê-la, sorrindo, é que se acalmaram. Essa reação pura e leve dos netos me inspirou, para quem a arte é um ato de fé na vida, a transformar o membro que me faltava em um braço mágico. E esse braço mágico levará sempre crianças e adultos a mundos encantados, repletos de luz e amor”, explicou.

Em um ambiente decorado com corações vermelhos e dourados e um banner com a frase que marcou a sua alta hospitalar – Lute como uma Poeta –, a escritora ficou por cerca de duas horas autografando os livros e fazendo fotos com a equipe do hospital. “Estou muito feliz, realizada. Minha vontade de viver é cada dia maior”, dizia Roseana ao público.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *