Conecte-se conosco

Brasil

Ministro da Saúde repercute aumento de casos de Covid-19 e hepatite no Brasil

Marcelo Queiroga informou que a pasta está monitorando as notificações

Publicado

em

Ministro da Saúde fala sobre aumento de casos de Covid e hepatite
Ministro da Saúde fala sobre aumento de casos de Covid e hepatite - Foto: Tatiana Campbell/Super Rádio Tupi

O ministro da Saúde informou, neste domingo (15) que a pasta vem monitorando o aumento de casos da Covid-19 no Brasil. De acordo com Marcelo Queiroga a rede do Sistema Único de Saúde está apta a receber novos pacientes:

“A pasta tem acompanhado [os casos]. Nós fortalecemos o Sistema Único de Saúde [SUS]. Os Centros de Vigilância, antes do nosso governo, eram 55, hoje são 164, aumentamos a capacidade de vigilância, aumentamos os leitos de Terapia Intensiva. Houveu uma flexibilização das medidas, é normal que aumente o número de casos, mas o nosso sistema tem capacidade de atender. E na prática tivemos uma queda do número de óbitos. O SUS enfrentou um alfabeto grego inteiro de variantes e com o SUS nõs vamos enfrentar quantas variantes surjam. Vamos ficar vigilantes com as autoridades sanitárias dos estados e municípios para trabalharmos juntos”.

Ainda de acordo com o Ministro da Saúde não há necessidade para um alarde. Marcelo Queiroga falou ainda sobre o aumento de casos de hepatite. “Todos casos nós monitoramos, ainda não há nenhum caso confirmado, estão sendo monitorados”, destacou.

A vacinação contra a Covid em crianças com menos de 5 anos também foi pauta tratada pelo ministro. Segundo Queiroga é necessário que evidências científicas comprovem a eficácia para este público alvo.

“Tendo evidência científica, passa para a área técnica que avalia e se for o caso, pode ser incluído, mas tudo tem que ser com base em evidência científica que decorre de estudos técnicos. Vamos fazer isso de maneira responsável, analisando os benefícios, os riscos, os custos e as prioridades da saúde. Não há nenhuma previsão para inclusão da vacina para crianças abaixo dos 5 anos”, finalizou o ministro Marcelo Queiroga.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.