Conecte-se conosco

Baixada Fluminense

Pastor é preso acusado de hipnotizar e abusar de mulheres

Segundo a polícia, dez vítimas procuraram a delegacia para relatar que sofreram o crime

Publicado

em

Duas vítimas relataram terem sofrido abusos sexuais por parte do pastor
Duas vítimas relataram terem sofrido abusos sexuais por parte do pastor - Foto: Divulgação/PCERJ
Duas vítimas relataram terem sofrido abusos sexuais por parte do pastor

Duas vítimas relataram terem sofrido abusos sexuais por parte do pastor – Foto: Divulgação/PCERJ

Policiais Civis lotados na 66ª DP (Piabetá), prenderam durante a operação Captura III, nesta quinta-feira (16), Sergio Amaral Brito, de 59 anos, pelo crime de estupro de vulnerável. A investigação foi iniciada no dia 1º de dezembro após a vítima procurar a Polícia Civil relatando que havia sido vítima do pastor.

Aos agentes, ela relatou que frequentava a Assembleia de Deus de Jardim Primavera, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, quando foi convencida pelo pastor a fazer algumas sessões de psicanálise em seu consultório, no Centro de Piabetá. Durante a sessão a vítima relatou que após ser submetida a hipnose foi abusada sexualmente. Ela contou para os pais o ocorrido e após procurarem Sérgio Brito ele pediu desculpas, se disse arrependido e pediu que orassem por ele.

Após tomar ciência dessa denúncia, uma outra vítima compareceu a delegacia relatando que também era membro da Assembleia de Deus e que em uma reunião com o pastor foi convencida a realizar sessões de terapia. Durante as consultas, à vítima foi abusada sexualmente diversas vezes, sendo que em uma sessão ela relatou que ao abrir os olhos percebeu que Sergio Brito estava nu e a abusava. Ela disse que só tomou coragem para relatar o que sofreu quando soube que outra mulher o havia denunciado.

Durante as investigações, a Polícia Civil descobriu que o pastor planejava fugir para Brasília, por isso a Justiça decretou a prisão temporária.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.